Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

As primeiras reações de partidos políticos

Variam as reações dos partidos políticos suíços à aprovação dos acordos bilaterais com a União Européia. Mas prevalece a satisfação de grandes agremiações: sem surpresa socialistas, radicais e democrata-cristãos acolheram bem o resultado da votação.

Representante do Partido Socialista disse que chegou a hora de o governo reativar o pedido de adesão.

Franco Cavalli, líder do Partido Socialista na Câmara destacou que os suíços compreenderam a importância dos acordos para a economia.

Satisfação do o resultado foi também expressa pelos Partido Radical e Democrata-Cristão.

O presidente do Partido Radical, Franz Steinegger, disse que a questão da adesão não era atual. Estima que devem ser estudadas primeiro as conseqüências dos dos acordos bilaterais.

O líder democrata-cristão, Adalbert Durrer, é da mesma opinião e realçou estar satisfeito que a "questão européia esteja resolvida por enquanto".

O presidente dos Verdes, Ruedi Bauman disse tratar-se de "sete pequenos passos rumo à Europa". E disse que o governo devia reativar o pedido de adesão.

Já porta-voz da UDC/SVP, de direita extremada mas representado no governo, realçou que o SIM devia significar a questão da adesão não é mais atual. Considera que os acordos "substituem a adesão".

Os Democratas Suíços, pequeno partido de direita, que participou no lançamento do referendo, bate na mesma tecla. Em comunicado solicita ao governo "retirar imediatamente o pedido de adesão da Suíça à União Européia".

Observadores têm notado que com uma "margem de aprovação confortável" os partidários da candidatura da Suíça à UE podem insistir no pedido de adesão.

O pedido feito meses após a rejeição em 1992 do chamado Espaço Econômico Europeu, foi engavetado. Mas nunca foi retirado.

swissinfo com agências.



Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.