Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Até historiadores discordam

(swissinfo.ch)

Muita gente opina, e de maneira contraditória, sobre a capa do livro do ex-secretário de Estado Stuart Eizenstat.

O presidente da Suíça, Kaspar Villiger, achou a capa de "gosto duvidoso" mas disse que não vale a pena perder tempo com essa história.

A controvérsia acerca da capa do livro em que bandeira suíça é coberta com uma cruz suástica do nazismo em lingotes de ouro continua no país.

Indignação

Os líderes dos principais partidos políticos consideram a ilustração "insolente" e acham que e ela vai prejudicar a imagem da Suíça.

François Bergier, que presidiu uma comissão de historiadores que estudou as relações da Suíça com a Alemanha da época nazista, ficou "indignado" com a capa do livro.

"A bandeira é um símbolo para o povo e ele não tem nada a ver com os negócios do Banco Central (BNS)", afirma. "É claro que o Banco Central errou ao comprar ouro dos alemães mas isso não significava simpatia com o nazismo, como sugere a capa do livro", explica Bergier.

Sem escrúpulos

George Kreis, outro historiador que fez parte da comissão Bergier, acha que a capa do livro "é materialmente irrepreensível". "O ouro representa o ouro nazista e colocá-lo em relação com a bandeira suíça corresponde a um fato histórico", explica.

"Ao invés de ficar aborrecidos com a capa de um livro, que ninguém nem leu ainda, deveríamos refletir melhor acerca do fato que nosso Banco Central lavou ouro nazista sem escrúpulos", conclui Kreis.

swissinfo com agências

×