Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Atolada em dívidas Swissair aperta o cinto

O plano do patrão Mario Corti - foto - acalma os investidores

(swissinfo.ch)

No primeiro semestre deste ano, a dívida da Swissair aumentou 1 bilhão de francos para atingir 7.8 bilhões - cerca de US$ 4,4 bi. Na quinta-feira, 12/7, Mario Corti, novo presidente do grupo anunciou plano de reestruturação que inclui venda de boa parte do patrimônio da empresa.

Mario Corti que assumiu há poucos meses a presidência do SAirGroup - rebatizado de Swissair - constata que a posição do grupo « continua tensa ». Mas garante que a empresa dispõe de facilidades bancárias suficientes para respaldar suas atividades.

Corti esclareceu também que Swissair continuaria a vender ativos: aviões, ações e imóveis que devem render 3 bilhões, dizendo que há 3 meses já foi vendida parte do patrimônio no valor de 900 milhões de francos.

No novo plano está prevista concentração nas atividades básicas, isto é, transporte aéreo pela Swissair e Crossair e atividades anexas rentáveis, como "Gate Gourmet" (refeição a bordo), e "Nuance" (butiques nos aeroportos).

Swissair está procurando também solução urgente para participações financeiras em empresas aéreas deficitárias em que afirma ter tido prejuízo de 2.9 bilhões de francos suíços no ano 2000. Na França, já vendeu Air Littoral, AOM-Air Liberte entraram com pedido de falência, sendo anunciada uma decisão a respeito a partir do dia 19.

Continua o problema, grave, da Sabena. Swissair dispõe de praticamente a metade do capital. Assinou contrato para adquirir até 85% das ações e agora quer retirar-se da deficitária empresa belga. O Governo belga e Sabena reclamam indenização de 529 milhões de euros à empresa suíça.

O caso de Sabena foi parar na Justiça. A posição da Swissair é uma solução que passe por « um diálogo construtivo entre as partes envolvidas ». Na manhã de quinta-feira, várias centenas de sindicalistas belgas manifestaram perto da sede de Swissair defendendo o direito da empresa existir e conseqüente envolvimento do grupo suíço nesse sentido.

Policiais suíços que vigiam a manifestação proibiram utilização de porta-vozes e dos sanitários públicos. Colocaram WC móveis à disposição do grupo!

Falando do andamento dos negócios de Swissair nos cinco primeiros meses do ano, Mario Corti disse ter havido aumento de 5.2% no faturamento que atingiu 6.4 bilhões de francos. O faturamento só das atividades aéreas subiu 8,9%, segundo o patrão da Swissair.

A Bolsa de Valores reagiu bem ao comunicado de imprensa do novo presidente de Swissair: as ações do grupo revalorizaram 9.4 % na quinta-feira de manhã.

swissinfo com agências.


Links

×