Aumento dos casos leva a nova campanha anticoronavírus na Suíça

Espera-se que os turistas suíços se dirijam às montanhas e lagos para comemorar o 1º de agosto, dia nacional do país. Keystone / Laurent Gillieron

À medida que as infecções passam de 200 por dia, o Ministério da Saúde lança uma nova campanha para lembrar a ameaça sempre presente da Covid-19. O ministério também disse que a exigência de máscara em lojas e espaços públicos é recomendada.

Este conteúdo foi publicado em 31. julho 2020 - 00:00
swissinfo.ch/fh

O Ministério da Saúde da Suíça lançou na quinta-feira uma campanha reiterando as regras básicas de higiene contra a Covid-19 com a mensagem principal: "o vírus ainda está aqui".

Desde a flexibilização das medidas para proteger a população contra o novo coronavírus, a responsabilidade individual tornou-se mais importante, disse o ministério suíço.

Com os novos cartazes, as autoridades advertem para não baixar a guarda. O slogan é "O vírus também está trabalhando durante o período de férias. Mantenha sua distância"!

Pascal Strupler, responsável pela campanha, reiterou as diretrizes de higiene incluindo a lavagem das mãos e o uso de máscara quando não se consegue manter a distância de 1,5 metro.

Strupler também recomendou uma exigência de máscara em lojas e espaços públicos. O uso da máscara é obrigatório em todos os transportes públicos na Suíça, enquanto algumas regiões também exigiram que ela fosse usada nas lojas.

Infecções em alta

O número de novas infecções diárias ultrapassou a marca de 200 pela primeira vez na Suíça desde que o isolamento foi flexibilizado. Um total de 220 novos casos foram registrados, assim como uma nova morte, elevando o total para 1.704 mortes. Houve 35.022 casos confirmados na Suíça.

Patrick Mathys, que chefia a unidade de gestão de crise e cooperação internacional no Ministério da Saúde, disse que "os números estão aumentando e é provável que aumentem ainda mais. A taxa de infecção positiva também está aumentando de forma constante".

Ele acrescentou que 10% das infecções são o resultado de viagens ao exterior, das quais cerca de 6% são devidas a viagens a países de alto risco. Cerca de 9.000 pessoas estão atualmente em quarentena após retornarem de países de risco.

Viajando para a Suíça

O governo anunciou que pessoas de países terceiros (fora da UE) podem entrar na Suíça se estiverem em uma relação com um suíço a partir de 3 de agosto. Até agora, isto só foi permitido se um casal for casado ou tiver um filho junto. Havia algumas exceções para emergências.

Como outros países introduzem testes de coronavírus para viajantes, Mathys disse que, no momento, o ministério não planeja testar pessoas que entram no país. Ele explicou que ainda não há evidências de que isso possa reduzir o número de infecções. Dependendo de quando a pessoa é infectada, pode dar um resultado negativo falso.

Qualquer pessoa que entre na Suíça de qualquer um dos 42 países de "alto risco", incluindo os Estados Unidos e o Brasil, tem que passar por uma quarentena de dez dias. A pessoa que não respeita a quarentena ou não se comunica às autoridades pode ser multada em até CHF10.000 (US$ 10.900).

Um país entra na lista de "alto risco" se novas infecções nos últimos 14 dias tiverem sido superiores a 60 por 100.000 habitantes.

Partilhar este artigo