Navigation

Bancos atraem esportistas e artistas

swissinfo.ch

Esportistas e artistas possuem fortunas avaliadas em 1,3 trilhão de dólares. Os Bancos suíços entraram em peso nos últimos anos nesse mercado dominado pelos britânicos.

Este conteúdo foi publicado em 13. setembro 2002 - 17:26

Os bancos têm especialistas, inclusive ex-esportistas, que propõem serviços.

As fortunas de artistas e esportistas tornaram-se uma mina de ouro para os bancos. Os ingleses foram os primeiros a se interessar pela gestão dessa dinheirama mas os bancos suíços descobriram o filão.

+ 18% ao ano

Os bancos não revelam nomes nem números, evidentemente, mas algumas estimativas foram publicadas recentemente pelo jornal suíço Le Temps, de Genebra.

O mercado conjunto do mundo do espetáculo e do esporte é estimado pelos bancos em 2 trilhões de francos suíços (US 1,3 trilhões).

A fortuna só dos esportistas mais famosos é estimada em 60 bilhões de dólares e a taxa de crescimento é de 18% ao ano. Consideando toda a indústria esportiva, a cifra é multiplicada por 10, segundo Sebastian Dovey, diretor da Scorpio Partnership, autor de um estudo sobre o assunto.

Só na Europa, 8.500 grandes nomes do esporte dispõem de mais de US 1 bilhão líquidos para investir, de acordo com o estudo de Dovey. Em média, os jogadores de futebol dos grandes clubes ganham US 2,6 milhões por ano, os pilotos de F-1 de US 3 a 26 milhões (Michael Schumacher ganha mais US 60 milhões), sem contar os tenistas e jogadores de golfe.

Esportistas são conselheiros

No setor do espetáculo, o interesse é maior pelos artistas de cinema, músicos, costureiros, manequins e gente de televisão.

Como esse mercado cresce, a concorrência entre bancos também. Vários bancos suíços (UBS, Crédit Suisse, Lombard Odier, entre outros) criaram divisões especializadas nesse setor.

Como esses meios são considerados fechados, os bancos contratam inclusive ex-esportistas conhedidos como "consultores" ou "embaixadores".

Stéphane Oberer, capitão da seleção suíça na Copa Davis de tênis, trabalha para o Lombard Odier. O ex-tenista Jakob Hlasek e ex-jogador de futebol alemão Karl-Heinz Rummenigge recrutam para o UBS.

swissinfo/Claudinê Gonçalves

Breves

- Esportistas têm US 60 bilhões líquidos para investir.
- Mercado cresce 18% ao ano.
- Para facilitar contatos, bancos formam e contratam ex-campeões.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?