Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Basiléia celebra casamento interessado

Basiléia era uma cidades européias mais importantes naquela época

(Keystone Archive)

O 13 foi um número de sorte para Basiléia e para a Suíça. 500 anos atrás, em 13 de julho de 1501, um pacto foi assinado na Praça do mercado e a cidade passou a integrar a Confederação Helvética.

"Aqui tudo é suíço, até o calçamento das ruas", afirmaram as autoridades de Basiléia ao receberem os representantes dos chamados Confederados, 500 anos atrás. Por outro lado, uma canção popular em dialeto suíço-alemão diz que os Confederados encontraram, enfim, a chave para fechar o país".

A entrada de Basiléia na Confederação Helvética interessa a ambas as partes. Reforçava a defesa da cidade e fechava a fronteira noroeste aos invasores. Além disso, um novo centro comercial, cultural e científico de importância européia, era integrado à Confederação.

Ao aderir, Basiléia perdia a autonomia em política estrangeira mas obtinha maior segurança e uma grande autonomia. Na época, a cidade tinha 10 mil habitantes e a primeira Universidade suíça, fundada em 1460.

Um das atividades mais importantes, na época, foi a indústria gráfica, atraindo para a cidade filósofos, médicos, teólogos, historiadores, artistas.

Situada perto da fronteira com a França e a Alemanha, a cidade soube manter-se até hoje um centro científico, industrial e artístico.

swissinfo com agências

×