Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Brasil vence a Nova Zelândia por 4 x 0

Jogadores da seleção celebram o segundo gol da partida marcado por Adriano.

(Keystone)

Com uma goleada de 4 a 0 na Nova Zelândia, o Brasil encerrou suas semanas de preparação na Suíça para a Copa do Mundo.

Apesar do resultado contra a fraca equipe neozelandesa, a seleção mostrou que ainda há lacunas no time.

A seleção brasileira jogou em casa em Genebra, como já acontecera terça-feira, no primeiro amistoso em Basiléia. Dos 30 mil torcedores que lotaram o Estádio de Genebra, a imensa maioria estava vestida de verde-amarelo.

Faltam vários acertos

Não foi diferente nas duas semanas de treinamento em Weggis, na Suíça central, em que a seleção atraiu e empolgou dez mil pessoas por dia. Carlos Alberto Parreira avisara os jornalistas brasileiros em Weggis, que o time estará pronto no terceiro jogo da Copa, contra o Japão.

Certamente o técnico sabe o que diz. No amistoso de Genebra, Parreira ficou várias vezes em pé, dando instruções aos craques. Cafu ouvia e transmitia, Emerson reclamava muito, Roberto Carlos gesticulava e Lúcio pedia melhor cobertura. Os primeiros minutos do jogo contra a fraca equipe da Nova Zelândia foram quase caóticos.

Se isso se repetir na Copa, a seleção poderá passar por momentos difíceis. Havia muito espaço entre o meio-campo e a defesa. Zé Roberto estava meio perdido em campo, Kaká e Ronaldinho estavam mais preocupados em atacar, conforme a característica deles. Três jogadores neozelandeses ocuparam o espaço durante alguns minutos. Aos 5 minutos de jogo, já havia dois escanteios contra o Brasil, com jogadas de cabeça entre Lúcio e Juan. Ainda bem que o ataque neozelandês não tem o talento do brasileiro.

Perigo vem dos laterais

Depois de alguns minutos as instruções de Parreira foram seguidas. Ronaldinho e Kaká recuaram um pouco e aí surgiu a outra arma conhecida da seleção brasileira. Quando Kaká e Ronaldinho cobrem o meio-campo, abrem espaço para Cafu e Roberto Carlos avançarem, cruzando para Ronaldo e Adriano.

Ou seja, em certas situações, o Brasil pode atacar com seis ou até sete jogadores. O problema será sempre perder a bola aí e o adversário partir em contra-ataque rápido.

Contra a Nova Zelândia, Cafu foi mais ativo do que Roberto Carlos, no ataque. Houve inclusive lançamentos de lateral a lateral, dependendo do espaço. Se os laterais não atacam, o miolo do ataque continua embolado com Ronaldo e Adriano e às vezes Ronaldinho tentanto jogadas pelo centro. O ataque fica mais ágil com Robinho, como no segundo tempo, mas ele não tem o mesmo instinto do gol de Ronaldo.

Análise do técnico

O técnico Carlos Alberto Parreira declarou numa rápida coletiva à imprensa que a partida contra a equipe da Nova Zelândia foi um bom teste, já que ela tem um estilo de jogo parecido com o da Austrália.

O Brasil faz parte do Grupo F e estréia na Copa jogando contra a Croácia em 13 de Junho, em Berlim. No dia 18, a seleção joga contra a Austrália. No dia 22 é a vez do jogo contra a seleção japonesa.

"Foi importante esta partida. A Nova Zelândia não tem a mesma qualidade técnica da Austrália, mas tem um sistema de marcação muito parecido, que chega forte. Neste sentido, foi muito válido este amistoso", analisou Parreira.

Suíços e brasileiros deram todo o apoio

O fenômeno abriu o marcador aos 42 do primeiro tempo, com um passe de Kaká. No segundo tempo, a Nova Zelândia limitou-se a defender e Adriano marcou o segundo depois de jogada rápida entre Robinho e Cafu.

Kaká, o melhor em campo, marcou o terceiro depois de uma arrancada, sózinho, do meio-campo até a saída do goleiro neozelandês. Juninho marcou aos 45 minutos, depois de uma abertura de Ricardinho. Parreira fez seis substituições. Só não saíram Dida, Lúcio, Juan, Kaká e Adriano.

De Genebra, a deleção ruma direto para a Alemanha, depois de duas semanas de preparação em Weggis e dois amistosos (8 a 0 contra o Lucerna, em Basiléia, terça-feira e 4 a 0 contra a Nova Zelândia, em Genebra). Na Alemanha, a semana que resta antes da estréia contra a Croácia, dia 13, terá treinos fechados, conforme decisão da comissão técnica.

Em todo caso, das duas semanas que passou na Suíça, a única coisa que seleção não poderá se queixar é da falta de apoio e carinho dos suíços e brasileiros que lotaram estádios para aplaudí-los.

swissinfo, Claudinê Gonçalves, Genebra.

Fatos

A seleção brasileira venceu a equipe nacional da Nova Zelândia por 4 a 0, num jogo amistoso disputado em Genebra, na Suíça.
Os gols foram feitos por Ronaldo (43'), Adriano (51'), Kaká (86') e Juninho Pernambucano (90').
O Brasil faz parte do Grupo F e estréia na Copa jogando contra a Croácia em 13 de Junho, em Berlim. No dia 18, a seleção joga contra a Austrália. No dia 22 é a vez do jogo contra a seleção japonesa.

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.