Navigation

Busacca sonha com a final do Mundial

Massimo Busacca, o melhor árbitro do mundo em 2009 Keystone

Depois de ter sido suspenso por três jogos pela Associação Suíça de Futebol, o árbitro Massimo Busacca, nascido no Ticino (sul do país), chegou ao olimpo da arbitragem.

Este conteúdo foi publicado em 02. fevereiro 2010 - 09:19

Ele recebeu nesta segunda-feira, em Londres, o prêmio de melhor árbitro do mundo e agora sonha em apitar a final da Copa do Mundo na África do Sul.

No próximo sábado (6), Busacca completa 41 anos. O maior presente de aniversário ele recebeu com um mês de antecedência, em 6 de janeiro, quando foi eleito pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS) o melhor árbitro do mundo em 2009.

Segundo o resultado de votação feita por um júri formado por representantes de 81 países, Busacca obteve 225 pontos, contra 147 do segundo colocado, o italiano Roberto Rosetti.

Ele não esconde a alegria por esse feito que nenhum árbitro suíço conseguiu realizar antes. A melhor colocação anterior tinha sido do legendário Urs Meier, que ficou em segundo lugar no ranking da IFFHS em 2002, e hoje chefe é da Comissão de Arbitragem da Associação Suíça de Futebol (ASF).

Em setembro passado, Busacca ainda enfrentava ventos contrários. No jogo entre FC Baden e Young Boys de Berna, na primeira eliminatória da Copa da Suíça, ele foi flagrado pelo fotógrafo do jornal SonntagBlick ao mostrar o dedo indicador, depois de ter sido provocado por fãs do Young Boys.

Suspensão de três jogos

Primeiro, ele negou, depois, admitiu e pediu desculpas e, finalmente, foi punido pela Comissão de Arbitragem da ASF com três partidas de suspensão por seu gesto obsceno. O "caso Busacca" causou discussão dentro e fora do país.

"Meu gesto daquela vez não pode ser justificado", diz Busacca à swissinfo.ch. "Ele talvez simplesmente tenha mostrado que sou apenas um ser humano."

Se o caso teve algo de positivo, então foi o fato de ter voltado a atenção para a violência verbal e física nos estádios e nas arquibancadas, acrescenta. É uma vergonha que na Suíça se precise de polícia para realizar jogos de futebol, diz.

O caso do dedo talvez tenha sido o único tropeço em sua carreira de sucesso. Através da liga regional e da Série B, Busacca, que se descreve como mau jogador, subiu em 1996 à Primeira Divisão do futebol suíço. Em 1999, tornou-se árbitro da Fifa.

Na Copa do Mundo de 2006 na Alemanha, ele foi o único árbitro suíço. Em 2008, apitou a semifinal da Eurocopa entre a Turquia e a Alemanha, em Basileia.

Amarelo para Cristiano Ronaldo

Muito reconhecimento lhe rendeu sua atuação na final da Liga dos Campeões, em maio de 2009, entre Barcelona e Manchester United, em Roma, quando deu cartão amarelo para Cristiano Ronaldo.

Busacca não tem medo das grandes estrelas do futebol. "No gramado, joga A contra B, basta", diz.

Ele não acredita que esteja tendo mais reconhecimento internacional do que nacional. "Caso contrário, eu não teria sido eleito cinco vezes consecutivas o melhor árbitro do ano na Suíça."

Mesmo assim, ele não está completamente feliz em seu país. A situação dos árbitros é insatisfatória, especialmente em comparação com os jogadores de futebol profissionais, critica há anos. Apesar de sua carreira internacional, Busacca ainda trabalha em tempo parcial como gerente das cantinas da administração estadual do Ticino.

"Árbitros na mira"

Lentamente começa a ser reconhecido que os árbitro de futebol realizam um trabalho altamente profissional. É que mostra também o documentário Os árbitros (2009), do belga Yves Hinant, que empolgou o público do último Festival de Cinema de Locarno e também foi exibido pela televisão suíça (veja link na coluna à direita).

Realizado durante a Eurocopa 2008, ele mostra, entre outros, Busacca em campo, apitando, xingando e rindo. No gramado, ele não parece tão mandão e ditador como muitos de seus colegas; ele parece rígido, mas também comunicativo e conciliador.

Busacca é ambicioso e estabelece objetivos. Ele não esconde seu sonho de este ano apitar decisão da Copa do Mundo na África do Sul, " caso a seleção suíça não chegue à final."

No entanto, ele também é humilde. Antes e depois de cada jogo, ele faz o sinal da cruz: "Tenho meus limites, e Deus está do meu lado."

Gerhard Lob, Locarno, swissinfo.ch
(Adaptação: Geraldo Hoffmann)

Os melhores do mundo

Os dez melhores árbitros do mundo em 2009, segundo o ranking da Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS), sediada em Bonn (Alemanha):

1. Massimo Busacca(SUI) 225 pontos.
2. Roberto Rosetti(ITA) 147.
3. Howard Melton Webb (ING) 52.
4. Jorge Luis Larrionda (URU) 47.
5. Frank De Bleeckere (BEL) 45.
6. Luis Medina Cantalejo (ESP) 25.
7. Manuel E. Mejuto González (ESP) 22.
8. Carlos Luis Chandía Alarcón (CHI) 19.
9. Wolfgang Stark (ALE) 19.
10. Héctor Walter Baldassi (ARG) 17.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?