Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Ciência do sono Sono e vigília controlados pela mesma parte do cérebro

Pesquisadores da Universidade de Berna mostraram que uma única área do cérebro - o tálamo - é responsável tanto pelas ações de adormecer quanto de acordar.

foot of sleeping person

A região do tálamo do cérebro é fundamental para uma boa noite de sono, dizem os cientistas suíços

(Keystone)

Anteriormente, segundo a universidade, embora o tálamo fosse importante para a qualidade do sono, o consenso era de que os impulsos para adormecer e acordar ocorriam em regiões separadas do cérebro.

No entanto, uma equipe de pesquisa suíça liderada pelo professor Antoine Adamantis afirma agora que a área do tálamo desempenha um papel duplo.

Usando técnicas optogenéticas para ativar os neurônios do cérebro com impulsos de luz, eles descobriram que um pequeno grupo de neurônios nessa área produz ondas longas que podem ajudar a adormecer, enquanto os mesmos neurônios também produzem o "sinal" para despertar.

O tálamo, localizado entre o córtex e o tronco cerebral, é uma região de ligação que também desempenha um papel no processamento do “input” sensorial e na organização da cognição e da consciência. Está ligado a praticamente todas as outras regiões do cérebro.

Crucialmente, usando dados experimentais extraídos de testes em camundongos, os pesquisadores também descobriram que, quando os neurônios talâmicos eram inibidos, a qualidade do sono e a recuperação também sofriam.

Em uma época em que a população ativa está dormindo menos do que nunca - 20% menos que 50 anos atrás, segundo os pesquisdores - essa descoberta pode ter implicações nos esforços para melhorar a qualidade e a consistência do sono.

Os resultados foram publicados na revista Nature Neuroscience.

Veja mais sobre a importância do sono:


swissinfo.ch/fh

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Longform The citizens' meeting

Teaser Longform The citizens' meeting

advent calendar

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.