Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Cidades suíças têm maior poder aquisitivo

10 a 15 minutos de trabalho por um "big mac" na Suíça, 2 a 3 horas na África.

(Keystone)

Zurique, Genebra, Basiléia, Lugano, Los Angeles e Luxemburgo são as cidades de maior poder aquisitivo do mundo.

Elas também estão entre as mais caras, depois de Oslo (1), Hong-Kong (2), Tóquio(3) e Nova York (4). A classificação é de um estudo feito em 70 cidades, pelo União de Bancos Suíços.

Quem mora em Zurique, Genebra, Basiléia e Lugano, na Suíça, têm o maior poder aquisitivo do mundo, depois da dedução dos impostos e encargos sociais.

Em compensação, quem mora em Oslo, Zurique, Copenhague, Londres, Hong-Kong e Tóquio, vive nas cidades mais caras do mundo.

Diferenças na UE e na Suíça

Os dados são do último estudo realizado em 70 cidades de todos os continentes pelo União de Bancos Suíços (UBS) e divulgado terça-feira (19.08). Lisboa, São Paulo e Rio de Janeiro estão entre as cidades pesquisadas.

O estudo, feito de dois em dois anos, leva em consideração os salários e os preços em cada cidade para ter uma idéia mais precisa do custo de vida.

Na União Européia, apesar da adoção euro como moeda única, ainda existem grandes diferenças entre preços e salários. Luxemburgo tem o maior poder aquisitivo da zona euro e Lisboa tem o menor. Entre as duas cidades, a diferença é de 60%.

Na Suíça também existem diferenças entre preços e salários. Basiléia, por exemplo, tem os melhores salários do país mas Zurique tem maior poder aquisitivo porque os impostos são mais altos em Basiléia.

Em Lugano, na região sul, os salários chegam a ser inferiores de 10% em relação a Zurique. Os preços também são inferiores de de 2 a 6% em Lugano.

Lisboa, São Paulo e Rio

Entre as 70 cidades, Lisboa está em 47°lugar, São Paulo em 49° e Rio de Janeiro em 61°, quanto ao poder aquisitivo. Quanto aos preços (bens e serviços), Lisboa está em 37°, São Paulo em 58° e Rio de Janeiro 62°.

Em matéria de salários, Lisboa está em 38° lugar, São Paulo em 53° e Rio de Janeio em 58°. Esses dados são baseados na média salarial de 13 profissões.

Depois do último estudo do UBS, feito em 2000, Oslo substituiu Tóquio como cidade mais cara do mundo. Isso é atribuido à queda da moeda japonesa (yen) e à alta da moeda noroeguesa (coroa). Buenos Aires é atualmente a penúltima (69°) cidade mais barata do mundo, em comparação internacional.

Na Europa e nos Estados Unidos, o salário médio por hora é de 22 a 24 francos suíços. Nas cidades africanas e asiáticas, ganha-se 3 francos por hora, em média.

Outro critério de comparação é o tempo de trabalho necesário para comprar um "big mac", o famoso sanduíche encontrado em todas as grandes cidades.

Nas quatro cidades suíças, em Los Angeles (5) e Miami (7) é preciso de 10 a 15 minutos trabalho para comprá-lo. Em Karachi, no Paquistão, e em Nairobi, no Quênia, é preciso trabalhar de duas a três horas.

swissinfo

Breves

- Estudo compara preços dos mesmos bens e serviços e salários de 13 profissões, em 70 cidades de todos os continentes.

- Quatro cidades suíças: Zurique, Basiléia, Genebra e Lugano têm o maior poder aquisitivo.

- Karachi (Paquistão), Nairobi (Quênia) e Lagos (Nigéria) têm o pior poder aquisitivo.

- Na zona euro, Luxemburgo é o primeiro e Portugal o último, em poder aquisitivo.

- O salário hora médio na Europa e Estados Unidos está entre 22 e 24 francos suíços. Nas cidades africanas e asiáticas é de 3 francos.

- A cidades mais cara do mundo, em 2002, era Oslo. Buenos Aires, uma das mais baratas.

- O estudo é feito de dois em dois anos pelo UBS, União de Bancos Suíços.

-

Aqui termina o infobox


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×