Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Cinema suíço procura público

Christian Frei é um dos poucos realizadores suíços conhecidos no mundo do cinema.

(Keystone)

Até agora a promoção do cinema suíço era realizada de forma descentralizada e pouco efetiva.

Swiss Films, uma nova instituição, acaba de ser criada para tornar conhecido ao público estrangeiro as películas produzidas na Suíça.

Filmes suíços são pouco conhecidos fora do país dos Alpes. São raras as vezes, onde a produção suíça é exibida em festivais internacionais como o de Berlim, Cannes, Montreal, Kralovy Vary (República Tcheca), Veneza ou em San Sebastián. Porém existem exceções.

Christian Frei é um dos poucos diretores suíços a receber um Oscar pelo seu documentário “War Photographer” (Fotógrafo de Guerra).

Os diretores de cinema na Suíça vivem um presente precário. Quando se fala da produção nacional, apenas se destacam as grandes figuras de um passado recente: Alain Tanner, Claude goretta, Fredi Murer e Daniel Schmid.

Juntar forças

Os limites da indústria cinematográfica suíça têm a ver, entre outras, com a forma como o cinema é promovido no âmbito institucional.

Até o final de 2003, a promoção do filme suíço era um trabalho dividido entre três órgãos: o Centro Cinematográfico Suíço, Pro Helvetia e Agência de Curtas-metragens.

Para somar esforços e tornar mais eficiente a divulgação da produção cinematográfica, as três entidades foram reunidas. O novo órgão se chama “Swiss Films”. A partir de 2004, Swiss Films terá um orçamento anual de dois milhões de francos suíços. A fusão será provisória e deve durar três anos.

Cada um dos três órgãos contribui com sua própria especialidade para o trabalho da Swiss Films. A fundação de cultura suíça - Pro Helvetia - coloca à disposição seu acerto de mais de mil cópias de longas-metragens. O Centro Cinematográfico Suíço dispõe de uma ampla rede de contatos na indústria, que servirá para promover os talentos suíços no exterior.

Novas tarefas

Swiss Films dará apoio aos profissionais do cinema e se ocupará da promoção de filmes suíços nos grandes festivais. O trabalho será facilitado pelo importante banco de dados sobre os mais de 400 eventos internacionais relacionados ao tema.

A instituição irá administrar também a videoteca e o arquivo cinematográfico mais importante do país.

Os responsáveis do novo centro estão convencidos de que países pequenos como a Suíça terão, dessa forma, melhores oportunidades de participar dos festivais internacionais de cinema.

“Um país pequeno pode servir como um campo amplo para descobrir novidades de cinema. Num mundo dominado por poucos produtores, uma parte do público sempre buscará originalidade e a abordagem local nas novas películas”, afirma Micha Schiwow, novo diretor da Swiss Films.

“Aqueles que não podem se sobressair devido ao grande ruído e a prepotência que rege a indústria cinematográfica precisam buscar o público mediante estratégias e táticas inteligentes”.

swissinfo, Erwin Dettling em Zurique
tradução de Alexander Thoele


Links

×