Navigation

COI discute método de luta contra "doping"

Especialists em "doping" reunidos na sede do COI, em Lausanne Keystone

A Comissão médica do COI e especialistas independentes estão reunidos para decidir entre dois métodos de luta contra a EPO, uma das formas mais sofisticadas de "doping". Se os testes forem aprovados, um dos métodos poderá ser aplicado nos Jogos de Sydney.

Este conteúdo foi publicado em 31. julho 2000 - 16:33

Especialistas independentes do esporte e a comissão médica do COI - Comitê Olímpico Internacional - estão reunidos até terça-feira em Lausanne, oeste da Suíça. O objetivo é estudar dois testes para detectar a eritropoietina (EPO), uma das formas mais recentes e sofisticadas de "doping".

A substância, aplicada através de injeções, aumenta a quantidade de glóbulos vermelhos no sangue, aumentando a oxigenação muscular e conseqüentemente o desempenho do atleta. Segundo alguns especialistas, o desempenho aumentaria de 10 a 15 p/cento. Até agora, a EPO só pode ser detectada em exame de sangue.

Na abertura da reunião, o presidente da comissão médica do COI, Patrick Schamasch, lamentou que "malandros tenham deturpado um produto usado para curar doenças renas, entre outras, e usá-la não mais para curar e sim para matar pessoas". O uso da substância pode provocar a formação de coágulos sangüíneos e acidentes circulatórios.

Dois testes estão sendo analisados pelos especialistas em Lausanne, um francês outro autraliano. O teste francês permitiria a detecção da substância na urina. O método australiano é baseado em exame de sangue.

"Queremos estar seguros que não haverá resultados errados para não punir atletas inocentes", afirmou Schamasch. Se os testes ou um deles for validado até terça-feira no COI, a aprovação final seria na próxima reunião da Comissão executiva, dias 28 e 29 de agosto. Eles já seriam aplicados nos Jogos de Sydney, em setembro.

Swuissinfo com agências.



Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?