Navigation

Reintroduzindo abutres na Suíça

Organizações de conservação da natureza estão tentando trazer de volta os abutres-barbudos à Suíça central, região onde os pássaros não são vistos desde o século XIX. (SRF/swissinfo.ch)

Este conteúdo foi publicado em 17. janeiro 2018 - 12:30

Membros da “Fundação Abutre-Barbudo” levaram durante três anos seguidos jovens pássaros até a montanha de Hengliboden, em Melchsee-Frutt, no cantão de Obwalden, cuidando deles até que pudessem voar.

Os abutres-barbudos foram reintroduzidos na Suíça pela primeira vez em 1991 no Parque Nacional Suíço. Novas regiões foram posteriormente adicionadas. Demonstrou-se que 88% dos abutres-barbudos reintroduzidos sobrevivem seu primeiro ano. Nos anos subsequentes, a taxa de sobrevivência anual aumenta para 96%, o que é um número excepcionalmente elevado para animais selvagens, de acordo com especialistas em abutres-barbudos.

Os pássaros preferem áreas desoladas que são o lar de predadores, como lobos e águias douradas. Os abutres se alimentam da medula óssea de carcaças deixadas por outros predadores.

Eles desapareceram dos Alpes devido à caça excessiva. As pessoas pensavam erroneamente que a ave atacava os cordeiros. As ameaças atuais incluem venenos deixados contra animais carnívoros, degradação do habitat, distúrbios dos ninhos, menor consumo de alimentos e colisões com linhas elétricas.

Os pássaros têm uma envergadura de até 3 metros e chegam a pesar até 8 quilos. Ao contrário da maioria dos abutres, eles não são carecas.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.