Covid-19 gera novo tipo de poluição

As máscaras e luvas descartáveis representam uma ameaça para o meio ambiente. Opération Mer Propre

Elas nos protegem enquanto as usamos, mas o que acontece com todas essas máscaras e luvas depois que as descartamos? Como mais lugares tornam obrigatório o uso de máscaras, estamos enfrentando o problema de como administrar uma nova fonte de poluição.

Este conteúdo foi publicado em 13. outubro 2020 - 07:15

O equipamento de proteção individual (EPI) é uma nova forma de desperdício que não é fácil de lidar. Pegue as máscaras, que são compostas de três elementos - a parte de "tecido", a tira de metal para apertar no nariz e as faixas elásticas. Aqui reside a primeira complicação, pois os diferentes materiais não podem ser reciclados juntos.

Além disso, a parte protetora não é realmente feita de tecido, mas de um plástico chamado polipropileno. Quanto às luvas, na melhor das hipóteses são feitas de látex natural; na pior das hipóteses são também de plástico e dão origem aos mesmos problemas que as máscaras.

Poluição visível

Grupos ambientais vêm alertando há vários meses. Em fevereiro a OceansAsia publicou as primeiras imagens chocantes de praias repletas de detritos relacionados à pandemia perto de Hong Kong.

Na Europa, equipes da Opération mer propre (Operação Mar Limpo), fundada pelo mergulhador Laurent Lombard, foram as primeiras a encontrar sinais desta poluição na costa mediterrânea francesa. A associação continua a divulgar o crescente impacto ecológico da crise do coronavírus.

No mês passado, os voluntários que saíram para limpar o lixo do Lago de Genebra para o Dia Mundial da Limpeza recolheram pilhas de máscaras de proteção.

Em seguida, ao se decomporem, esses objetos liberam micropartículas de plástico. No mar, elas são engolidas por peixes e finalmente acabam em nossos pratos. Na terra, elas se infiltram nas águas subterrâneas e passam para nossa água potável.

Organizações não-governamentais como Earth.org e Greenpeace também estão tentando chamar a atenção das autoridades para os problemas causados pelo EPI.

Partilhar este artigo