Navigation

Crítica de lockdown da Covid-19 vence eleição regional em Madri

Isabel Díaz Ayuso celebra vitórial eleitoral 4/5/2021 REUTERS/Susana Vera reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 04. maio 2021 - 23:55

Por Ingrid Melander e Belén Carreño

MADRI (Reuters) - A líder regional conservadora de Madri conquistou uma reeleição esmagadora nesta terça-feira, impulsionada por sua recusa em fechar bares e lojas durante a pandemia de Covid-19.

Centenas de apoiadores agitando bandeiras se reuniram em frente à sede do Partido Popular (PP), gritando "Liberdade! Liberdade!" quando resultados preliminares mostraram que a líder regional Isabel Díaz Ayuso obteve mais que o dobro dos votos em comparação com eleição anterior de 2019.

"Liberdade" foi o lema da campanha de Ayuso, ao mesmo tempo em que ela bancava sua estratégia contra Covid para atrair eleitores cansados ​​das restrições impostas para combater a pandemia.

"A liberdade venceu", disse o líder do PP Pablo Casado, radiante, aos apoiadores. Os eleitores "confiaram na condução (de Ayuso) da pandemia". Ayuso acrescentou: "Liberdade, sempre, sempre".

Os críticos acusam Ayuso de negligenciar os serviços de saúde enquanto mirava os negócios. Mas ela ganhou o apoio de muitos moradores de Madri ao se recusar a fechar bares e restaurantes para ajudar a conter a pandemia.

A região de Madri, onde vivem sete milhões dos 47 milhões de espanhóis, registrou 343 casos de Covid-19 por 100.000 nos últimos 14 dias, contra uma média nacional de 213. A ocupação das unidades de terapia intensiva é a mais alta da Espanha, com 44%.

Ayuso ficou perto de conquistar cadeiras suficientes para governar a região sem o apoio de nenhum outro partido, de acordo com resultados preliminares com 92% dos votos contabilizados, que mostraram que ela obteve 65 cadeiras, ante 30 em 2019.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.