Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um trem passa por uma áerea industrial de Berlim, em 1º de maio de 2017

(afp_tickers)

O crescimento econômico na Alemanha acelerou a 0,6% no primeiro trimestre de 2017, estimulado pela demanda interna e as exportações, anunciou nesta sexta-feira a agência federal de estatísticas Destatis.

O dado provisório coincide com a previsão dos analistas entrevistados pela consultoria Factset.

O Produto Interno Bruto (PIB) alemão registrou crescimento de 0,4% no quarto trimestre de 2016.

A maior economia europeia registrou de janeiro a março um forte aumento dos investimentos na área de construção e equipamentos industriais, segundo a Destatis.

Além disso, o consumo residencial e do Estado "progrediu levemente". O comércio exterior ajudou a sustentar o crescimento: as exportações avançaram mais que as importações.

"O resultado da economia alemã é a história de um êxito sem fim", disse Carsten Brzeski, economista chefe da ING-Diba.

"Um mercado de trabalho sólido e salários em alta sustentam o consumo privado, as taxas de juros baixas alimentam a atividade na construção, o fluxo de refugiados conduziu a um gasto público mais importante e o euro desvalorizado sustenta as exportações", citou.

AFP