Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Crise do tênis suíço se acentua

O capitão Jakob Hlasek, cercado de Gagliardi e Schnyder que disseram "Não" à Fed Cup

(Keystone Archive)

Descontentamento e rejeição do capitão da Copa Davis e desinteresse do lado feminino pela Fed Cup agrava uma crise que afeta o tênis suíço há dois anos. Primeira conseqüência, grave: a Suíça levou à Austrália, para o 2° turno da Fed Cup, uma equipe de reserva que só pode dar vexame.

Essa crise resulta basicamente de um problema de relacionamento do capitão da Copa Davis e Fed Cup, Jakob Hlasek. Desde que foi apontado para o cargo, em 1999, pela Swiss Tennis, a federação suíça de tênis, o primeiro a contestar a escolha foi Marc Rosset, n° 1 suíço na época. Rosset passou a boicotar a Copa Davis (competição masculina entre nações).

Desde o início ele teve apoio de Roger Federer, atual n° 1 suíço, que (depois da derrota da Suíça pela França, nas quartas-de-final, em abril), também pediu a cabeça do capitão.

Hlasek acabou sendo desincumbido dessa função pela Swiss Tennis, ficando apenas com a Fed Cup (que devia ser o equivalente feminino da Copa Davis, mas está sem prestígio).

O capitão enfrenta agora crescente contestação feminina. Imitando Martina Hingis - que desistiu da Fed Cup há 3 anos, estimando sua agenda já muito sobrecarregada - as melhores jogadoras suíças também declinaram o convite a ir à Austrália, defender nesses dias as cores do país de Guilherme Tell: Patty Schnyder, Emmanuelle Gagliardi e Miroslava Vavrinec, respectivamente nos. 2, 3 e 4.

Resultado: Jakob Hlasek levou a Sydney tenistas inexperientes: Aliénor Tricerri (20 anos, WTA 401), Myriam Casanova (16 anos, WTA 497) e sua irmã Daniela (17 anos, WTA 536).

Nas quadras de grama australianas enfrentam Rachel McQuillan (WTA 62), Evie Dominikovic (WTA 69), Alicia Molik (WTA 71) e Nicole Prat (WTA 77), sem chance alguma de classificar-se para a final que reunirá 8 nações de 5 a 11 de novembro, em Madri.

Outras partidas: Alemanha - Argentina; Eslováquia - Rússia e França - Itália.

Outros 8 paisess disputam permanência no Grupo Mundial(que reune 16 nações):
Áustria - Indonésia; Hungria -Israel; Suécia - Japão e Venezuela - Croácia.

swissinfo com agências.


Links

×