Navigation

O "titã" das flores se abre no Jardim Botânico de Zurique

Keystone / Ennio Leanza

A "Amorphophallus titanum", como é conhecida pelo seu nome científico, é a maior inflorescência do mundo. Ela acaba de florir no Jardim Botânico da Universidade de Zurique e atrai um grande número de interessados. Seu nome popular - "Flor-cadáver" - indica também que ela tem um cheiro bastante peculiar. 

Este conteúdo foi publicado em 26. abril 2019 - 14:00

A planta pode crescer até três metros de altura. Com o seu forte aroma a carniça, atrai insetos para polinização no seu ambiente natural na selva. Os florescimentos são raros porque a planta é muito difícil de cultivar, incluindo em condições ideais.

Keystone / Ennio Leanza

Essa planta tuberosa, cultivada em diversos jardins botânicos,é um endemismo das florestas tropicais do oeste de Sumatra, uma ilha da Indonésia, no Oceano Índico. Quem a descobriu foi o botânico italiano Odoardo Beccari, em 1878. Seu nome científico Amorphophallus titanum significa, literalmente: falo gigante sem forma. E pode viver até os seus 40 anos, mas só floresce duas ou três vezes.

A última vez que uma "Amorphophallus titanum" floresceu na Suíça foi em 2004, no Jardim Botânico da Universidade da Basileia, um fato que também atraiu milhares de visitantes à instituição.

Artigos citados

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.