Navigation

Janela n°23: cantões do Appenzell (Interior e Exterior)

Maxime Kathari & Federal Office of Culture

Vencedor do prêmio Swiss Music Prize em 2018, o 'appenzellense' Noldi Alder é considerado pela instituição como "o grande renovador da música popular".

Este conteúdo foi publicado em 23. dezembro 2020 - 09:00

Aos 67 anos, Noldi Alder é para a música popular o que Mozart era para a música clássica e Michael Jackson para a música pop: A referência. Ele vem de uma família de camponeses do Appenzell que tocavam música tradicional, mas naquela época não era sua profissão.

Aos 35 anos, Noldi Alder finalmente decidiu seguir sua voz interior e começou a estudar música clássica, especializando-se no violino. Suas diversas influências - música clássica e popular - se tornaram sua força e sua marca registrada: "Meu hobby favorito é fazer música popular misturando-a com outros gêneros como a música clássica", disse ele ao Departamento Federal de Cultura em 2018.

Em sua opinião, a música popular assumiu uma forma muito rígida no início do século 20 e "isto tirou sua flexibilidade". Ele considera, portanto, que hoje em dia não é fácil reavivar a música popular. "A música popular suíça tem estruturas muito fixas. Renová-la significa ignorar essas estruturas. Assim, na maioria das vezes, o que é novo é integrar elementos de outros gêneros musicais", diz Noldi Alder em uma entrevista ao jornal Berner Zeitung.

Além de violinista, Alder também é 'jodler' (canto à tirolesa) e toca 'hackbrett' (instrumento de cordas da família das cítara - não confundir com a sitar indiana); ele vive em Urnäsch em uma velha casa na qual ele se sente "profundamente à vontade e livre" e que está localizada perto de uma floresta onde ele gosta de recarregar suas baterias. Além de sua participação em vários festivais de renome, Noldi Alder também compõe música para cinema, mais recentemente em ZwischenweltenLink externo (2020), e também já em HeimatklängeLink externo (2007).

Assista sua performance de hackbrett e yodeling no Festival de Jazz Geht Baden em 2016:

Conteúdo externo


A arte em todos os seus estados

Este ano, a SWI swissinfo.ch decidiu dedicar seu Calendário de Advento ao mundo da cultura - e à cultura suíça em particular. Concertos cancelados, museus fechados, apresentações proibidas - a crise do coronavírus atingiu duramente os artistas em todos os campos.

A fim de apoiá-los à nossa maneira e permitir que você descubra seus mundos encantados e variados, lhes convidamos a abrir uma nova janela a cada dia, que revelará uma personalidade particular. Alguns são mais populares do que outros, mas todos têm em comum que são contemporâneos e reconhecidos internacionalmente em sua arte.

Siga-nos durante o mês de dezembro e conheça aqui uma rapper do Valais, um dançarino da Basileia, um escritor da Thurgau (Turgóvia), um trompetista de Friburgo...

E é bom lembrar: nossa seleção não tem a intenção de apresentar "o melhor" da arte suíça. Nós simplesmente desejamos oferecer a você uma paleta o mais rica possível. E esteja à vontade para nos apresentar ou recomendar novos artistas de sua preferência.  👇

End of insertion


Partilhar este artigo