Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Custo da saúde ultrapassa previsões

Para 7 milhões de habitantes os gastos foram de mais de 6 bi de dólares

(swissinfo.ch)

O aumento previsto da saúde na Suíça era de 2% em 2000. Atingiu 6,1%. Novas medidas devem reduzir, mas não estabilizar no país os custos que são os mais elevados do mundo, depois dos Estados Unidos.

Na Suíça, país de 7 milhões de habitantes, os gastos em saúde no ano 2000 atingiram 10,8 bilhões de francos, ou seja, uma média aproximada de 900 dólares por pessoa.

Os gastos mais marcantes foram em remédios (+ 11,5%) e serviços ambulatórios (sem pernoite em hospital, + 14,3%).

A preocupação das autoridades, não podendo sustar ou estabilizar os gastos, é de pelo menos limitá-los. A Divisão Federal de Saúde tem esperança no novo sistema de faturamento dos remédios e novas tarifas para as consultas médicas.

O farmacêutico, desde 1° de julho, é pago pelo serviço prestado e não pela porcentagem sobre medicamentos. Em princípio essa norma deve estimular a venda dos genéricos (cópias de remédios originais) que por enquanto representam apenas 3% das vendas.

A outra medida é a unificação das tarifas médicas o que deve pelo menos contribuir para uma maior transparência desses custos.

O que é criticado nas medidas adotadas é que a receita de medicamentos genéricos não deve diminuir o volume de remédios. Os grandes laboratórios também encontram subterfúgios, mudando embalagem ou marca do remédio para continuar a vendê-lo mais caro. O jornal Le Matin, de Lausanne, cita o caso do "Antra" (contra azia) com patente quase expirando e que foi transformado em "Nexium".

Diante desse quadro, os prêmios dos seguros-saúde continuarão um peso quase insuportável no orçamento das famílias de baixa renda. Os aumentos têm sido constantes: 11,7% em 1997, 4,7% em 1998, 2,8% em 1999, 3,8% em 2000 e 5,5% neste ano o que dá 28,% por cento em 5 anos.

E com a alta de 6,1% dificilmente se impedirá novo aumento para 2002. A esse respeito, as seguradoras devem fazer propostas no fim do mês, aguardando a resposta do governo em outubro.

Na Suíça, o seguro-saúde básico é obrigatório. Um jovem de menos de 25 anos, por exemplo, paga prêmio de cerca de 160-170 dólares por mês que cobre gastos com médicos da escolha do segurado e condições mínimas de hospitalização. Ele deve também pagar uma franquia anual de 230 francos - 133 dólares, aproximadamente.

O paciente paga 10% do valor das consultas médicas e dos remédios. Tem igualmente garantia de hospital público ou mesmo privado, na categoria "enfermaria".

Operações puramente estéticas ficam excluídas. Os prêmios são bem mais elevados para hospitalização em quartos privados ou semiprivados. E entram na categoria dos seguros complementares, com prêmios bem mais elevados.

swissinfo com agências.

×