Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Desemprego bate recorde

Entrada de uma agência local de emprego, onde muitos suíços podem encontrar uma nova ocupação.

(Keystone)

Essa é a maior taxa de desemprego dos últimos seis anos: até o final de 2003, mais de 162 mil suíços não tinham ocupação. Eles correspondem a 4,1% da população ativa no país.

Já nos países da União Européia, a média do desemprego em novembro registrava 8,8%, ou seja, níveis há mais de um ano estáveis.

Essa não é uma boa notícia para um país de pequenas dimensões: na virada do ano, 162.835 suíços amargavam a realidade do desemprego.

Segundo a Secretaria Federal de Economia (Seco), a situação efetiva é um pouco pior: em dezembro, mais de 230 mil pessoas estavam procurando um emprego. Esse número inclui não só aquelas pessoas que não têm trabalho, mas também as que participam de cursos de recolocação profissional.

Em média, 145.687 suíços ficaram sem trabalho no ano passado, o que corresponde a 3,7% de desemprego. Apenas em 1998 as taxas eram mais elevadas: 3,9%.

O problema atinge, sobretudo, os estrangeiros e os jovens. Suas taxas de desemprego ficaram respectivamente em 6,9% e 4,7%, o que representa níveis muito mais elevados do que a média suíça.

Apesar do crescimento do desemprego em dezembro, o governo mostra-se otimista em relação ao futuro. “A economia está voltando a crescer e a nossa esperança é que essa retomada seja contínua, para muitas pessoas possam ser também beneficiadas”, afirma Jean-Luc Nordmann, diretor da Seco.

Retomada

A esperança está no crescimento da economia mundial. Pesquisadores econômicos calculam para 2004 um crescimento de 1,5% do PIB. Ao mesmo tempo, as atuais taxas de câmbio do Franco suíço em relação ao Euro são consideradas favoráveis à conjuntura do país. “O único problema é a atual desvalorização do Dólar”, acrescenta Nordmann.

Com a perspectiva de retomada econômica a partir do segundo trimestre, estima-se também uma redução do desemprego. Segundo a Seco, as taxas devem permanecer nos mesmos patamares de 2003, mas com a tendência negativa. Concretamente o governo acredita que a média de desemprego de 2004 fica na média anual de 152 mil pessoas e com taxas de 3,9%.

swissinfo e agências

Breves

- Em novembro de 2003, a taxa de desemprego de 12 países na União Européia foi de 8,8%. Esse nível permanece estável há um ano.

- A média de desemprego em todos os países da União Européia foi de 8%. As maiores taxas são encontradas na Espanha (11,3%), França (9,5%) e Alemanha (9,3%). As menores estão em Luxemburgo (3,9%), Áustria (4,5%) e Irlanda (4,6%).

Aqui termina o infobox


Links

×