Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Dia Mundial Sem Tabaco Fumar em público afeta o turismo suíço?

Man with head in a cloud of smoke

Um cartaz da campanha contra o cigarro lançada pelo Departamento Federal de Saúde Pública em 2015.

(Keystone)

Os turistas gostam da Suíça como mostram recentes pesquisas de opinião. Mas um ponto não lhes agrada: o fumo nos espaços públicos. Como esse hábito helvético preocupa a indústria do turismo e a abertura de novos "espaços reservados para fumantes" melhorará a situação?

"Era para mim difícil de acreditar ser recebido por tanta fumaça quando desembarcava dos trens", declara Luigi. "Era gente fumando por todos os lados", reforçou Lori. 

Estas são duas das opiniões enviadas pelos leitores à swissinfo.ch após questionarmos sobre os pontos negativos de suas férias na Suíça. 

"Acima de tudo, o que eu não gosto é do cigarro. Eu ouvi dizer que os suíços eram muito saudáveis. No entanto, você vê tanta gente fumando por todos os lados, inclusive até mesmo frente à prédios. Se você está só de passagem, é obrigado a respirar tudo isso. É horrível", escreveu Susan. 

Anualmente a Organização Mundial de saúde (OMS) e parceiros globais comemoram o Dia mundial sem tabacoLink externo (DMST), que ocorreu em 31 de maio. A campanha anual é uma oportunidade para aumentar a conscientização sobre os efeitos nocivos e mortais do uso do tabaco e a exposição à fumaça de segunda mão e a desencorajar o uso de tabaco em qualquer forma.

Aqui termina o infobox

De fato, os índices de tabagismo na Suíça estão um pouco acima da média global, de acordo com um estudo comparativo da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2015Link externo, mas abaixo dos números da Grã-Bretanha, Estados Unidos, Canadá e Austrália. 

A lei é clara: o fumo está banido do escritório e espaços públicos fechados desde 2010Link externo. Na prática, no entanto, a fumaça ainda incomoda. Um cliente com um cigarro na boca na mesa ao lado pode estragar legalmente sua refeição se você está sentado no terraço de um restaurante (onde o fumo ainda é permitido). Isso vale para varandas de hotéis e apartamentos, bem como estádios esportivos e concertos. Mas a pior situação é das estações de trem. 

"Fiquei desapontado com os fumantes por todos os lados, especialmente nas estações ferroviárias", escreveu Hauser. "Os países deveriam finalmente proibir o cigarro. Até lá, pelo menos, proibir seu consumo nas plataformas de trem ou paradas de ônibus", reforma Mark. 

De fato, as autoridades proibiram o fumo em trens e estações ferroviárias ou metroviárias em 2005. Mas nos espaços externos e pontos indicados, apesar da grande quantidade de turistas circulando nas suas proximidades, ainda é perfeitamente legal tirar seu cigarro e acendê-lo.

Como funciona a lei?

O fumo foi proibido em trens e nas estações em 12 de dezembro de 2005, porém os passageiros ainda podem fumar nas plataformas. 

A Lei federal contra o tabagismo passivoLink externo entrou em vigor em 1º de maio de 2010. É proibido fumar em locais de trabalho e espaços públicos como restaurantes, bares, boates, centros comerciais, aeroportos, escolas e cinemas. No entanto, ainda é permitido oferecer espaços exclusivos para fumantes em restaurantes, bares ou até mesmo no aeroporto.

Bares ou restaurantes com menos de 80 metros quadrados de espaço podem solicitar às autoridades cantonais uma autorização especial para se tornar "clube de fumantes"

Aqui termina o infobox

Áreas de fumantes 

A situação começa a mudar para os fumantes. A partir de junho de 2019, o fumo só será permitido em áreas restritas nas plataformas de trem. Os testes realizados no ano passado foram bem-sucedidos. 

Essas zonas de fumantes nas estações ferroviárias são um desafio logístico para a Companhia Suíça de Trens (SBB, na sigla em alemão), que declara necessitar mais um ano até banir completamente o fumo dos seus espaços. A empresa anunciará as novas regras em 4 de junho à opinião pública. 

As autoridades não esperam grande resistência. A União dos Transportes Públicos afirmou, em novembro, que três quartos dos entrevistados defendiam regras mais restritas para o fumo nos meios de transporte e seus espaços externos. 

Em comparação com os vizinhos europeus, as leis antitabagistas são extremamente liberais na Suíça. O Reino Unido, a França, a Itália, a Áustria, os Países Baixos, a Bélgica e a Espanha proíbem claramente o fumo nas plataformas de trem. Já na Alemanha e Noruega só é permitido fumar nas zonas designadas.  

A União dos Transportes Públicos rejeitou a proibição total de fumo nas estações alegando "não querer incomodar ninguém". O objetivo é a satisfação do cliente, disse seu porta-voz. 

A visão da indústria do turismo

"O que eu menos gostei na Suíça foi ver tanta gente fumando. Especialmente jovens e em locais públicos. Para quem vem da Inglaterra é muito estranho ver isso nos dias de hoje. Um país supostamente tão obcecado pela saúde, 'bem-estar' e o meio ambiente...acaba estragando sua própria imagem", reclama o leitor David.

Resta saber se os espaços-fumantes recém-criados melhoram a experiência dos turistas no país dos Alpes. Muitos estão conscientes dos problemas que o fumo causa e prezam pela sua saúde.

"Para nós isso ainda não é um problema. Por isso não pressionamos ativamente o governo ou os cantões para tentar restringir ainda mais o fumo", explica Robert Zenhäusern, assistente científico da Federação Suíça de TurismoLink externo (STF). "Pessoalmente não acho que a questão do fumo influencia a escolha do turista por uma viagem à Suíça. Acho que são poucos deles que decidem não vir mais por se sentir incomodados com o hábito."

Embora Zenhäusern concorde que a criação de zonas exclusivas poderá melhorar a situação, não acredita que mais medidas serão tomadas no futuro. "Se o tabagismo se tornar um problema real prejudicando realmente o turismo no país, nos tornaremos ativo", diz. 

Críticas de não-fumantes

Jürg Hurter, presidente da organização antitabagismo Pro AereLink externo, acredita que todo o cigarro prejudica a imagem da Suíça. "Em sociedades avançadas o tabagismo é visto como um problema, especialmente devido ao fumo passivo. É muita falta de educação!", critica.

Hurter diferencia áreas exclusivas para fumantes dos chamados "fumoirs", os clubes de tabaco. "Somos contra áreas de fumantes nas estações ferroviárias. Já essas salas fechadas, cujo acesso só é permitido para adultos, são tristes e deprimentes. Porém a gente não se opõe a elas." 

Dicas para o turista evitar o fumo passivo? "Infelizmente não há informações confiáveis sobre locais totalmente livres do fumo. No entanto, não achamos que um hotel ou restaurante deva fechar suas portas totalmente aos fumantes. Não somos contra os 'fumoir' desde que eles não afetem as pessoas que estão circulando."

Fumo na Suíça

27,1% dos suíços com mais de 15 anos de idade fumaram (31% para homens e 23,3% para mulheres) em 2017. De 15 a 24 anos, o número foi de 31,7%. 

Na Suíça, cerca de 9.500 pessoas morrem por ano devido ao consumo de tabaco (26 pessoas por dia). As causas de morte mais comuns são problemas cardíacos (39%), câncer do pulmão (28%), problemas respiratórios (15%) e outros tipos de câncer (14%). Essas doenças representam 15% dos falecimentos no país.

No que diz respeito ao tabagismo passivo, a proporção de pessoas expostas ao fumo contra a sua vontade, durante pelo menos uma hora por dia, desceu de 35%, em 2002, para 6%, em 2017. 

O tabagismo custa à economia helvética aproximadamente 5,6 bilhões de francos (US$ 5,6 bilhões) ao ano, dos quais 1,7 bilhão em custos médicos e 3,9 bilhões devido à perda de produtividade.

Um maço de 20 cigarros custa em média oito francos (oito dólares). O imposto sobre o tabaco traz dois bilhões de francos aos cofres públicos e é revertido completamente à AHV (sistema previdenciário). 

(Fonte: Departamento Federal de Saúde PúblicaLink externo)

Aqui termina o infobox


Adaptação: Alexander Thoele, swissinfo.ch

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.