Perspectivas suíças em 10 idiomas

Dinamarca propõe quarta dose de vacina anticovid

Mulher recebe vacina contra coronavírus em um centro de vacinação em Ishoej, na Dinamarca, em 11 de setembro de 2021 afp_tickers

A Dinamarca vai propor uma quarta dose da vacina anticovid às pessoas mais vulneráveis, para tentar travar a rápida propagação da variante ômicron do vírus, uma decisão sem precedentes na Europa, anunciou o governo nesta terça-feira (12).

“A decisão de propor uma quarta dose aos cidadãos mais vulneráveis abre um novo capítulo” na luta contra o coronavírus, disse o ministro da Saúde, Magnus Heunicke, em coletiva de imprensa.

As primeiras pessoas que poderão se vacinar serão aqueles com baixa imunidade, pacientes com câncer e aqueles afetados por artrite, disseram as autoridades de saúde.

Graças à campanha de vacinação “ambiciosa”, o país nórdico conseguiu “controlar a epidemia novamente”, disse Heunicke.

O ministro anunciou ainda a reabertura, a partir de domingo, de cinemas, teatros e salas de espetáculos, fechados desde 19 de dezembro. A lotação máxima permitida será de 500 pessoas.

Os bares e restaurantes continuarão sendo obrigados a fechar às onze horas da noite.

A validade do passaporte sanitário foi reduzida de sete para cinco meses após a segunda dose, que já havia sido injetada em 79,6% da população.

O passaporte não tem prazo de validade após a terceira dose, que já foi aplicada em 54,6% da população.

Mais de um milhão dos 5,8 milhões de habitantes da Dinamarca contraíram a covid-19 desde o início da pandemia.

No início de janeiro, as autoridades estimavam que a variante ômicron constituía 90% dos novos casos.

Fora da Europa, Chile e Israel já propõem uma quarta dose para determinados grupos da população.

Preferidos do leitor

Os mais discutidos

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR