Ano recorde de denúncias de lavagem de dinheiro

O número de denúncias de suspeita de lavagem de dinheiro disparou em cerca de 25% na Suíça no ano passado.

Este conteúdo foi publicado em 23. abril 2020 - 15:18
O total de ativos informados sob suspeita de lavagem de dinheiro em 2019 era de 12,9 bilhões de francos suíços © Keystone / Gaetan Bally

De acordo com o Departamento Federal de Denúncias de Lavagem de Dinheiro, 7.705 denúncias foram feitas em 2019, em comparação com 6.126 no ano anterior.

O órgão conseguiu processar 4.074 dessas denúncias no ano passado, e encaminhou cerca de metade (2.024) para as autoridades policiais, como declarou em seu relatório anual publicado na quinta-feira.

Ao final de 2019, ainda havia 6.095 casos suspeitos - incluindo milhares de casos de anos anteriores - aguardando processamento. Isto é cerca de um quinto a mais do que no final de 2018.

114 casos de suspeita de terrorismo

O total de ativos informados sob suspeita de lavagem de dinheiro em 2019 era de CHF 12,9 bilhões (US$ 13,2 bilhões) a partir de 22 de novembro, quando o departamento mudou para um novo sistema de dados interno.

Como em anos anteriores, esses ativos originaram-se principalmente de suspeitas de fraude ou corrupção. Quase todas as denúncias foram feitas por bancos ou prestadores de serviços de pagamento. Ao contrário dos bancos, o número de denúncias de administradores de ativos, fiduciários, advogados e tabeliões não aumentou nos últimos anos.

O departamento federal recebeu 114 denúncias de suspeita de financiamento terrorista (contra 132 em 2018). Apenas 13,4% dessas denúncias foram encaminhadas para as autoridades judiciais. Em mais de três quartos dos casos, as denúncias foram acionadas por reportagens em jornais (35%), monitoramento de transações (24%) ou informações de terceiros (19%).

No início de 2020, o órgão de vigilância financeira introduziu um novo sistema online para a apresentação de denúncias.


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo