Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Aeroportos suíços Problemas com vizinhança atrapalham decolagem econômica



O aeroporto de Zurique recebeu um número recorde de 24,3 milhões de passageiros em 2011.

O aeroporto de Zurique recebeu um número recorde de 24,3 milhões de passageiros em 2011.

(Keystone)

Os números falam por si. Os aeroportos internacionais da Suíça são essenciais para a economia de um país sem litoral, com um impacto estimado em cerca de 10 bilhões de francos. Mas problemas de capacidade e infraestrutura em Zurique e Genebra ameaçam a competitividade.

Apesar do clima de incerteza econômica e do franco suíço forte, os três aeroportos internacionais da Suíça - Zurique, Genebra e Basileia – estão livres para decolagem.

Um estudo sobre o impacto econômico publicado em maio de 2011 pela Secretaria Federal de Aviação Civil mostrou que os três aeroportos internacionais e os quatro regionais geraram pelo menos 9,7 bilhões de francos (10,35 bilhões de dólares) em 2008 - um aumento de 6,7 bilhões em relação a 2004. Zurique é responsável por 62% do total, seguido por Genebra (20,4%) e Basileia (13,3%).

Estes valores incluem os lucros diretos gerados pela atividade aeroportuária e pelas empresas baseadas nos aeroportos e os ganhos indiretos dos fornecedores de serviços.

E os lucros continuam tomando altitude, com um aumento no volume de passageiros e de voos, que são em grande parte movidos por passageiros suíços: o tráfego de passageiros per capita na Suíça é o dobro da média da União Europeia.

"Temos uma demanda interna muito forte e isso é atraente para as companhias aéreas", disse Martin Peter, consultor no ramo.

O número de passageiros suíços cresceu 2,5% no aeroporto de Zurique e o número de passageiros em trânsito subiu 4,4% no primeiro semestre de 2012 em comparação com o mesmo período do ano passado. A companhia aérea Swiss International Air Lines iniciou voos diários para São Francisco, Newark e Pequim, e a British Airways também aumentou sua capacidade em Zurique.

Desenvolvendo Genebra

E, apesar dos planos de cortar até 100 postos administrativos na Suíça, a Swiss também quer reorientar parte de suas operações em Genebra para competir com a companhia de baixo custo EasyJet, que controla 38% do mercado na cidade internacional e acintosos 48% em Basileia.

Na região de Genebra, a operadora de baixo custo tem um impacto econômico estimado em 1,4 bilhão de francos suíços, de acordo com um relatório publicado em setembro pelo Instituto de Pesquisas Econômicas BAK, da Basileia.

Todos juntos, os três aeroportos internacionais geram um número crescente de postos de trabalho. Zurique, por exemplo, criou 20.140 empregos diretos no setor em 2008, além de outros 82.520 relacionados à atividade no hub internacional.

"Se você olhar para o número de empregos e o volume de atividades de valor agregado, é bastante impressionante, mas a importância primordial dos aeroportos da Suíça é estratégica", disse Daniel Müller-Jentsch, do think tank Avenir Suisse. "Eles são uma infraestrutura essencial para uma economia sem litoral voltada para o exterior, como a Suíça."

Prêmios e altercação

Nos últimos anos, grandes transformações foram realizadas nas infraestruturas do principal aeroporto da Suíça.

Prêmios de excelência caem do céu e pelo nono ano consecutivo a indústria de viagens votou Zurique como melhor aeroporto europeu com o World Travel Award de 2012.

Mas muitos moradores de Zurique e alemães que vivem ao norte da fronteira provavelmente discordam. A poluição sonora causada pelo aeroporto tem sido um tema polêmico desde o remanejamento de várias rotas de voo pelo sul da Alemanha, em 2003.

Suíça e Alemanha finalmente chegaram a um acordo em julho, que requer aprovação parlamentar de ambos os lados. Ele prevê uma redução das horas de sobrevoo do território alemão pelos aviões de Zurique.

O acordo vai exigir mudanças nas pistas e nas rotas aéreas que deverão ser realizadas até 2020.

Problemas de capacidades

De acordo com um estudo comparativo publicado pela Secretaria Federal de Aviação Civil em novembro, há outras ameaças à competitividade dos aeroportos, o que poderia ser prejudicial para a economia suíça como um todo.

Segundo o relatório, apesar do setor da aviação suíça estar acima da média em termos de eficiência e qualidade, o sistema estaria "chegando ao seu limite de capacidade", especialmente em Zurique e Genebra.

O setor corre risco de perder terreno para concorrentes europeus que possuem mais de uma pista e podem estender a infraestrutura, acrescentou.

Hansjörg Bürgi, editor do skynews.ch, concorda com as conclusões gerais do relatório, mas disse que Genebra e Zurique são dois casos distintos.

 

"Genebra tem apenas uma pista e por isso está ficando sem capacidade. Zurique poderia ter uma capacidade muito maior se pudesse voar como gostaria, mas com todas as restrições políticas o aeroporto teve que abaixar suas ambições e deve sofrer restrições severas nos próximos anos", acrescentou.

O aeroporto de Genebra tem limites geográficos, com falta de terreno para construir, admitiu o porta-voz do aeroporto, Bertrand Stampfli, mas o espaço atual deve permitir "um crescimento nos próximos 20 anos".

O porta-voz disse que o aeroporto está focado na otimização das manobras aéreas e do tempo gasto no chão. Uma nova ala oriental também está prevista para mais voos longos.

Os especialistas dizem que, em sua configuração atual, Zurique pode atingir o seu limite de capacidade - 350 mil voos anuais - em dez anos se o crescimento do tráfego continuar como planejado.

"Para nós é claro o que devemos fazer", disse a porta-voz Sonja Zöchling. "Se conseguirmos a aprovação da Alemanha e da Suíça, precisamos ampliar as pistas."

Mas, para a ministra dos Transportes, Doris Leuthard, as perspectivas para o futuro permanecem sombrias.

"Somos um país pequeno, com limites de espaço. Talvez tenhamos apenas que aceitar certos limites", disse à swissinfo.ch.

Aeroportos suíços

A Suíça tem três aeroportos internacionais, 10 aeroportos regionais (incluindo Berna, Lugano, Sion e St. Gallen), 47 aeródromos e 24 heliportos.

Em 2011, eles totalizaram 963.901 manobras de aeronaves e mais de 42,9 milhões de passageiros. Os aeroportos receberam 394.423 toneladas de carga.

O aeroporto de Zurique é o maior da Suíça e está a menos de 20 quilômetros da fronteira alemã.

O aeroporto gerou um lucro de CHF 171 milhões em 2011, um recorde de 24,3 milhões de passageiros - 6,4% a mais do que em 2010 - em grande parte impulsionado por viajantes suíços. Os passageiros em trânsito subiram para 8,3 milhões.

O aeroporto de Genebra passou a barreira dos 13 milhões de passageiros em 2011, este ano o número de viajantes deverá crescer 6,5%. Ele registrou um lucro de CHF 64.6 milhões em 2011.

O EuroAirport Basel-Mulhouse-Freiburg está situado a seis quilômetros a noroeste de Basileia, em território francês. É um dos poucos aeroportos do mundo gerenciados por dois países: Suíça e França.

Em 2011, o número de passageiros chegou a um máximo histórico de cinco milhões e cresceu em 9% no primeiro semestre de 2012. A dívida líquida caiu de € 93,6 milhões para € 66,2 milhões.

Aqui termina o infobox


Adaptação: Fernando Hirschy, swissinfo.ch


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×