Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Aumenta a concentração da mídia suíça

Tamedia abocanha a Edipresse: fusão provocará corte de empregos.

(swissinfo.ch)

O grupo Tamedia, segundo maior conglomerado de mídia da Suíça, compra a Edipresse, terceira empresa jornalística do país e atuante na parte francesa (oeste).

A primeira metade do negócio custa 226 milhões de francos (US$ 193 milhões). Esse "casamento de elefantes" surpreendeu até mesmo peritos do setor. Os sindicatos temem cortes de empregos.

A Tamedia, de Zurique, cujo carro-chefe é o jornal Tages-Anzeiger, só perde em tamanho para o grupo Ringier. Ela vai fundir apenas seus negócios suíços com a Edipresse, de Lausanne. As atividades das duas empresas no exterior continuarão separadas.

A Edipresse atua também na Espanha, China e Grécia; a Tamedia opera em Luxemburgo.

A fusão no mercado nacional vai ocorrer em três etapas, segundo informaram as empresas nesta terça-feira. No primeiro passo, a Tamedia compra 49,9% das ações do grupo Edipresse. No começo de 2011, irá adquirir outros 0,2%.

O restante das ações será comprado no início de 2013. Pelos primeiros 50,1% a Tamedia pagará 226 milhões de francos (US$ 193 milhões). O preço do terceiro pacote dependerá do desempenho da Edipresse no mercado suíço.

Sinergia sobre o fosso lingüístico

Em contrapartida, na última etapa do negócio, a Edipresse comprará um "significativo" pacote de ações da Tamedia, informa um comunicado dos dois conglomerados.

Por atuarem até agora em duas regiões distintas – a Tamedia na Suíça alemã e a Edipresse na Suíça francesa – as empresas argumentam que se complementam muito bem. Elas pretendem desenvolver juntas novas ofertas para clientes publicitários.

Um outro objetivo declarado do negócio é a "melhoria dos custos" nas áreas de impressão, vendas, infraestrutura técnica e oferta de mídias.

Corte de empregos

Na área de jornais gratuitos, a fusão do Le Matin bleu (da Edipresse) com o 20 minutes (da Tamedia) vai provocar o corte de 20 empregos no curto prazo, disse o porta-voz da Tamedia, Christoph Zimmer.

Em 1997, o grupo zuriquense havia comprado a Espace Media, de Berna, dona do jornais Berner Zeitung e Der Bund. Agora a Tamedia avança para o leste do país.

Crescer para resistir

Os presidentes dos conselhos fiscais dos dois conglomerados, Pierre Lamuniere (Edipresse) e Pietro Supino (Tamedia), argumentam que a fusão tornou-se necessária devido à transformação do setor de mídia nos últimos anos, como o surgimento de novas tecnologias e mercados e a crescente concorrência internacional.

"Para enfrentar os desafios dessas mudanças e não perder nossa capacidade de desenvolvimento e inovação, precisamos nos tornar mais fortes e unir nossas energias", explicaram em um comunicado.

Os dois conselhos fiscais já aprovaram a fusão, que ainda depende de autorização pela autoridade antitruste.

Críticas

Antes de serem cortados empregos, os funcionários precisam ser consultados, conforme prevê o acordo coletivo, disse o diretor-executivo do sindicato Impressum, Urs Thalmann. Ele acrescentou que a fusão também coloca em xeque a diversidade midiática na Suíça.

O sindicato Camedia rejeita completamente a fusão e fará essa recomendação à Comissão Federal Antitruste. "O monopólio que vai surgir não é salutar", disse o copresidente da entidade, Roland Kreuzer, à agência de notícias SDA.

Morte de jornais

O temor do Camedia não é infundado. A morte de jornais, que virou uma praga nos EUA, atinge também a Suíça. No anos passado, Stadtblatt, de Winterthur (no norte do país) fechou suas portas, e o Le Matin (no leste) seus escritórios regionais. O Der Bund, der Berna, fundado há 160 anos, tem um futuro incerto.

O prestigioso Neue Zürcher Zeitung, de Zurique, principal concorrente local do grupo Tamedia, corta 24 empregos. O Basler Zeitung, de Basileia, reduziu 20% de sua redação. A Edipresse já havia anunciado antes da fusão o corte de 50 empregos em função da queda da receita de publicidade.

Mesmo assim, segundo o jornal Der Bund, não há razão para pânico. Em 1995, existiam 257 jornais na Suíça com uma tiragem de 4,26 milhões de exemplares. Hoje são 203 títulos com uma tiragem de 3,83 milhões de exemplares. "Isso significa uma redução de 10% em 14 anos. É muito, mas não é dramático", escreve o jornal.

swissinfo, Geraldo Hoffmann (com agências)

Números

Dados dos balanços de 2007 (em milhões de francos suíços):

Tamedia:
Lucro: 143 milhões (recorde, +45%).
Faturamento: 772 milhões (+17%).
Funcionários: 1.600

Edipresse:
Lucro: 32 milhões (+7,3%).
Faturamento: 815 milhões (-8,1%).
Funcionários: 3.387

Aqui termina o infobox

Principais jornais

Entre parêntesis, tiragem diária dos jornais em 2007:

Tamedia:

Tages-Anzeiger (216.411)
20 Minuten (551.200)
SonntagsZeitung (202.222)
Berner Zeitung (165.700)
Der Bund (60.399)


Edipresse:

24 heures (85.813)
Le Matin (76.194)
Le Matin bleu (183.011)
Le Matin Dimanche (207.945)
Le Temps (49.000)
Tribune de Genève (62.003)

Aqui termina o infobox


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×