Pedreiros em greve marcham pelas ruas de Genebra

Trabalhadores da construção em greve tomaram as ruas de Genebra na manhã desta terça-feira, causando engarrafamentos na cidade. Keystone

Cerca de 1.800 trabalhadores da construção marcharam pelas ruas de Genebra para protestar contra o agravamento das condições de trabalho.

Este conteúdo foi publicado em 16. outubro 2018 - 15:46
SDA-ATS

A manifestação acontece na esteira de um protesto semelhante, reunindo 3.000 trabalhadores no cantão do Ticino na segunda-feira.

A greve em Genebra foi convocada pelos sindicatos Unia, Synia e SIT, e está planejada para durar um dia - mas pode ainda ser estendida. A polícia organizou desvios de tráfego para a marcha, causando alguns engarrafamentos na cidade.

Cartazes carregados pelos manifestantes protestavam contra o 'dumping' salarial, e por um bom acordo coletivo - "mas não a qualquer preço”, dizia um cartaz.

A greve, fenômeno relativamente raro na Suíça, ocorre em meio a negociações para um novo acordo sindical no setor de construção. O contrato atual expira no final do ano. Os trabalhadores em greve denunciaram um suposto recrudescimento do trabalho temporário em obras, a precariedade da situação dos trabalhadores mais idosos e a subcontratação maciça, muitas vezes levando ao dumping salarial.

Existem cerca de 1.400 empresas de construção na área de Genebra, empregando 12.000 pessoas.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo