Quantos idiomas falam os suíços?

Suíça: um país com cada vez mais idiomas

Na Suíça sempre se falaram muitos idiomas. E cada vez se falam mais: as estatísticas oficiais mostram que, desde 2000, o número de residentes que não fala uma das línguas oficiais do país como seu principal idioma duplicou. Como isso se apresenta em um gráfico?

Este conteúdo foi publicado em 10. abril 2017 - 15:00
Kai Reusser e Balz Rigendinger, swissinfo.ch

A distribuição dos idiomas nacionais sofreu fortes modificações nas últimas quatro décadas. A proporção de pessoas que falam o alemão, italiano e reto-romano como língua principal caiu. Já a de pessoas que dominam outras línguas aumentou. Tudo graças à imigração? 

Conteúdo externo


Não apenas. O aumento da proporção de idiomas "exóticos" deve-se também às mudanças na forma de avaliação utilizada pelo Departamento Federal de Estatísticas. Apenas a partir de 2010 as pessoas entrevistadas também podiam indicar vários idiomas principais. Antes não havia essa possibilidade. Todavia, a tendência de aumento do número daqueles que dominam idiomas estrangeiros continua.

Cada vez mais albanês e inglês

Depois do italiano, que também é um dos idiomas oficiais do país, as línguas estrangeiras mais faladas na Suíça são o inglês e o português. Inglês, com o seu caráter de idioma universal, está disseminado por todo o país, logo seguido pelo albanês. Já o espanhol perdeu um pouco de espaço. 

Conteúdo externo


Idioma de trabalho? Alemão padrão e inglês

A maior parte dos trabalhadores na Suíça - pelo menos do ponto de vista estatístico - atua em um meio onde o suíço-alemão é o idioma mais falado: 42% dos habitantes.

Porém os suíços se adaptam. Como o ambiente de trabalho se torna cada vez mais internacional, a comunicação é feita cada vez mais em alemão padrão ou inglês. O dobro de pessoas fala inglês ou alemão padrão no trabalho do que o fazem em casa.  

Conteúdo externo


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo