Navigation

Genéricos na Suíça custam o dobro que na Europa

Medicamentos genéricos são duas vezes mais caros na Suíça que nos demais países europeus, segundo dados de 2017 Keystone

O preço dos medicamentos genéricos na Suíça em 2017 era o dobro do que em outros nove países europeus, diz um estudo publicado na quinta-feira. Já os medicamentos patenteados são 9% mais caros.

Este conteúdo foi publicado em 01. junho 2018 - 11:30
SDA-ATS

O estudo examinou os preços de fabricação de 250 medicamentos genéricos mais vendidos, tanto genéricos como os protegidos por patente, e foi conduzido pela nona vez pela associação de empresas farmacêuticas de pesquisa InterpharmaLink externo e pela associação suíça de seguros de saúde SantésuisseLink externo.

A diretora da Santésuisse, Verena Nold, disse que a Suíça "poderia economizar várias centenas de milhões de francos com medicamentos genéricos". Ela pediu um "novo sistema de preços" mais ajustado aos preços dos medicamentos no exterior.

A Santésuisse sugeriu uma série de medidas para reduzir os preços, incluindo um sistema de preços de referência, a aprovação mais rápida de medicamentos genéricos e a remoção de barreiras à entrada no mercado para promover a concorrência dentro da indústria.

+ Saiba mais sobre a campanha suíça para tornar acessíveis medicamentos que salvam vidas

A diferença de preço dos medicamentos patenteados diminuiu ligeiramente em 2017, abaixo dos 14% do ano anterior. As razões para a queda foram as flutuações da taxa de câmbio, bem como a revisão de preços do ano passado, que reduziu o preço de mais de 400 medicamentos na Suíça.

Os medicamentos originais cuja patente expirou foram 17% mais caros do que nos outros países europeus, em comparação com 20% em 2016, de acordo com a pesquisa.

Os países comparados foram Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Holanda, Áustria e Suécia.


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.