Navigation

Suíços lideram classificação de riqueza mundial

A fortuna média de um adulto suíço é de US$ 537.600 (CHF528.000), de acordo com o Relatório da Riqueza Global 2017 do banco Credit Suisse.

Este conteúdo foi publicado em 14. novembro 2017 - 10:30
swissinfo.ch/sb, swissinfo.ch
Desde 2000, a riqueza média por adulto na Suíça aumentou 130%, em grande parte devido à valorização do franco suíço em relação ao dólar Keystone

A Suíça continua liderando a lista global do Credit Suisse da riqueza por adulto, seguida pela Austrália (US$ 402.600), Estados Unidos (US$ 388.600) e pela Nova Zelândia (US$ 337.400).

Desde 2000, a riqueza média por adulto na Suíça aumentou 130%, em grande parte devido à valorização do franco suíço em relação ao dólar entre 2001 e 2013, disse o Credit Suisse na terça-feira (14).

Medida em francos suíços, a riqueza familiar na Suíça aumentou 35% de 2000 para 2017, representando uma taxa de crescimento anual média de 1,8%.

A Suíça também foi classificada em primeiro lugar pela riqueza mediana (US$ 229 mil por adulto), seguida pela Austrália (US$ 195,400).

Mais de dois terços dos adultos suíços possuem ativos acima de US$ 100.000 e 8,8% da população de 8,3 milhões são milionários. O Credit Suisse estima que 2.780 residentes suíços têm uma fortuna de pelo menos US$ 50 milhões, e 1.070 têm mais de US$ 100 milhões.

Crescimento contínuo

Dez anos após o início da crise financeira, a riqueza mundial cresceu 27%, impulsionada pelos ganhos nos EUA, de acordo com os autores do relatório.

"Uma década desde o início da crise financeira global, vemos um aumento significativo da riqueza em todas as regiões do mundo. Em nosso mercado doméstico, a Suíça, a riqueza por adulto aumentou mais de 40% durante esse período e continua liderando o ranking global", disse Urs Rohner, presidente do Credit Suisse.

De acordo com o relatório, a riqueza mundial deve continuar crescendo a um ritmo semelhante aos últimos cinco anos (3,8%), atingindo US$ 341 trilhões até 2022. Espera-se que as economias emergentes gerem riqueza a um ritmo mais acelerado do que os países desenvolvidas e que provavelmente conseguirão uma participação de 22% na riqueza global no final do período de cinco anos. A contribuição mais forte é esperada da China: US$ 10 trilhões ou um aumento de 33% ao longo deste período.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.