Hotéis de Genebra são os mais caros da Europa

Permanecer em um hotel em Genebra custa mais do que em qualquer outro lugar na Europa, de acordo com uma pesquisa internacional.

Este conteúdo foi publicado em 17. abril 2018 - 14:52
A suíte "Royal Penthouse" do hotel President Wilson, em Genebra, é considerada o quarto de hotel mais caro do mundo Keystone

A média de € 242,90 por pernoite coloca Genebra à frente de Paris (€ 232,30), enquanto Zurique é listada como o terceiro destino mais caro a € 203,90.

O Hotel President Wilson, em Genebra, ostenta a diária mais cara do mundo, cobrando cerca de 80.000 francos suíços para quem ficar em sua suíte real de cobertura.

No entanto, esses preços não impedem que turistas endinheirados fiquem nos hotéis de luxo suíços. Os 42 hotéis palácio da Suíça - não apenas em Genebra e Zurique - tiveram um aumento de 9,75% nas estadias no ano passado, registrando 1.279.467 diárias.

Esse crescimento superou confortavelmente outros segmentos de hotéis, segundo dados divulgados no mês passado pela organização Swiss Deluxe Hotels. As receitas também subiram 7,5%, para 1,56 bilhão de francos suíços, mostrando que as pessoas não estão desestimuladas com os altos preços.

Suíços que tiram férias em seu próprio país formam quase 30% de todos os visitantes dos hotéis mais luxuosos da Suíça. Mas um aumento de 74,4% nos hóspedes asiáticos (excluindo a China) no ano passado foi complementado por um impressionante crescimento de turistas indianos, chineses, alemães e americanos.

A PricewaterhouseCoopers, que compilou o estudo dos hotéis europeus, reconheceu que o franco forte tinha desempenhado seu papel em tornar os hotéis suíços tão caros para os turistas estrangeiros. A Swiss Deluxe Hotels disse em seu comunicado de imprensa em março que seus membros estavam combatendo os altos preços da Suíça adquirindo mais produtos e serviços no exterior para evitar contas que são até três vezes mais caras na Suíça.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo