Navigation

Muitos opositores, poucos adeptos da iniciativa "No-Billag"

Conteúdo externo
Em 30 de janeiro de 2018 inúmeros suíços protestaram frente ao Parlamento contra a iniciativa "No-Billag", que será votada em 4 de março. Keystone

A iniciativa "No-Billag", que propõe acabar com a taxa de rádio e televisão que todos os lares pagam no país, é apoiada apenas por poucos partidos e grupos de interesse. O Partido do Povo Suíço (SVP, na sigla em alemão) e a União Suíça de Artes e Ofícios aconselham votar "sim" à proposta. Porém a maior parte dos outros dizem "não. 

Este conteúdo foi publicado em 02. fevereiro 2018 - 09:30
swissinfo.ch

Partidos políticos

Partido do Povo Suíço (SVP)

O SVP é o único partido com participação no governo a apoiar a "No-Billag". Seus representantes manifestaram um claro "sim" à iniciativa.

Grupo jovem do SVP, Jovens Liberais

A sessão jovem do Partido Liberal (FDP) e do SVP foram os primeiros grupos políticos a apoiar a iniciativa.

Organizações

União Suíça de Artes e Ofícios (SGV)

Mais de dois terços dos seus membros apoiam a iniciativa.

Comitê da iniciativa

Os autores da iniciativa são jovens suíços que se denominam "libertários". Do comitê fazem parte poucos detentores de mandatos políticos. 

swissinfo.ch

Conselho Federal (governo) e Parlamento

O Conselho Federal (corpo de sete ministros que governa a Suíça) e o Parlamento rejeitam a iniciativa.


Partidos políticos

Partido Socialista (PS)

A direção do PS rejeita com unanimidade.

Partido Liberal (FDP)

Os representantes rejeitam a iniciativa.

Partido Democrata-Cristão (CVP)

Os representantes rejeitam a iniciativa.

Partido Verde (GP)

Os representantes rejeitam a iniciativa com unanimidade.

Partido Democrata-Burguês (BDP)

Os representantes rejeitam a iniciativa.

Partido Verde Liberal (GLP)

Os representantes do GLP rejeitam a iniciativa.


Organizações

Conferência dos Governos Cantonais

Os governos cantonais se posicionaram contra a iniciativa.

Economiesuisse

A Federação Suíça de Indústrias rejeita a iniciativa.

Organização dos Suíços do Estrangeiro (OSE)

A organização que representa os interesses de 770 mil suíços do estrangeiro rejeita a iniciativa.

Associações de Turismo

Reunindo várias organizações atuantes no setor, dentre elas a Associação Suíça de Hoteleiros e de Gastrônomos, rejeita a iniciativa.

Federação Suíça dos Agricultores (SBV)

A direção da SBV rejeita a iniciativa.

Associação Suíça das Comunas (SGV)

Rejeita a iniciativa por unanimidade.

Associação Suíça de Prefeituras (SSV)

A direção votou por unanimidade uma posição contrária à iniciativa.

Grupo de Interesse da Cultura Popular

Reunindo 33 associações, com mais de 400 mil membros ativos, ela se posicionou contra a iniciativa.

Federação da Terceira Idade (SVS)

Os presidentes dos diversos grupos que reúnem 40 mil pessoas aconselham a votar "não" à iniciativa.

Federação Suíça de Sindicatos (SGB USS)

Rejeita a iniciativa.

swissinfo.ch é uma empresa da Sociedade Suíça de Radiodifusão e Televisão (SRG SSR). Metade do orçamento é garantido pelas taxas de rádio e televisão e a outra metade, pelo Estado.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.