Renda para os filhos: a Suíça paga CHF 40 milhões para o exterior

Muitos homens se tornam pais em idade avançada. Keystone

Cerca de 30% dos pais aposentados que recebem uma renda suplementar para seus filhos vivem no exterior. A maioria na França, Alemanha, Itália e Tailândia.

Este conteúdo foi publicado em 23. julho 2020 - 12:00
Claude Chatelain

A Tailândia é um paraíso para os aposentados. Isso também se reflete nas estatísticas sobre renda suplementar para crianças do seguro de velhice AHV/AVS. No ano passado, 3,9 milhões de francos dos fundos de remuneração foram transferidos para o país asiático como renda direcionada às crianças. A Tailândia está na terceira posição, à frente de França e Itália, e atrás da Alemanha e Espanha, em termos de benefícios suplementares pago para crianças pagas no exterior.

Conteúdo externo

Deve-se notar que não são as crianças que têm direito a este benefício, mas seus pais que recebem uma pensão do AHV/AVS ou uma pensão por invalidez (IV/AI).

Essas pensões complementares para crianças são destinadas a cidadãos aposentados ou pessoas que recebem um benefício de seguro por invalidez (AI/AI) e que têm crianças dependentes. A renda das crianças representa 40% da pensão integral (número máximo de anos de contribuição) e varia de 474 a 948 francos por mês por criança, de acordo com a renda média e os anos de contribuição no seguro de velhice.

A classe política não questiona o fato de que os beneficiários de uma pensão por invalidez têm direito a uma renda suplementar para filhos menores de 18 anos ou jovens em formação (máximo 25 anos). O que é controverso é o direito de pais aposentados que recebem uma pensão AHV/IV ganharem o abono suplementar para crianças.

Houve várias tentativas no Parlamento - até agora sem sucesso - para abolir essas rendas, que geralmente são pagas aos homens aposentados. Por razões biológicas o número de mulheres beneficiárias é muito menor.

E como os homens tendem a ter filhos com uma idade cada vez mais avançada, o número de benefícios suplementares AHV/IV para crianças aumenta ano após ano. 44% desde 2010 e 52% se considerar o valor total pago.

Conteúdo externo

A Suíça transfere para a Alemanha três vezes mais renda suplementar para as crianças do que para Tailândia. No entanto, o montante total de benefícios é maior na Tailândia. "A explicação para esta diferença é o nível das pensões", diz Ann Bauer, do Departamento Federal da Previdência Social (OFAS), que organizou os dados para swissinfo.ch.

Como as pensões, os benefícios para as crianças são calculados com base na renda e o número de anos de contribuição. Consequentemente, eles podem variar muito em cada caso. 

Quanto mais anos contabilizados, maior a renda

No caso da Itália, Alemanha, Espanha e Portugal, a renda suplementar do AHV/AVS para crianças vai principalmente para pessoas que já trabalharam na Suíça e retornaram aos seus países de origem. Esses cidadãos não costumam atingir a contribuição máxima de 44 anos, portanto, sua pensão é menor.

No caso da Tailândia, por outro lado, a maioria são cidadãos suíços que pagaram contribuições ao longo de suas vidas antes de deixar a Suíça para desfrutar de sua aposentadoria em um clima mais quente. E eles geralmente têm rendimentos mais altos.

As estatísticas mostram que cada vez mais portugueses estão retornando ao seu país de origem depois de ter trabalhado na Suíça até a idade da aposentadoria.

O número de aposentadorias AHV/AVS e de abonos de família pagos a esses trabalhadores portugueses aumenta consideravelmente, mas a quantidade total está bem abaixo dos valores transferidos para os aposentados suíços que residem na Tailândia.

No ano passado, a Câmara Baixa do Parlamento quis reduzir a renda das crianças de 40% para 30% da pensão do AHV. A maioria dos membros do Parlamento considerou que o termo "renda para filhos" era enganoso e pretendiam mudá-lo para "benefícios parentais".

A Câmara Alta do Parlamento rejeitou a proposta para salvaguardar principalmente os interesses dos beneficiários de pensões de invalidez (IV/AI) - e não os de pensionistas AHV/AVS.

Quase metade dos beneficiários do seguro de invalidez IV/AI estão agora dependentes desses benefícios suplementares. E se a renda das crianças é reduzida, aumentaria automaticamente os benefícios suplementares. E a maioria desse dinheiro sai dos cofres dos cantões.


Partilhar este artigo