Navigation

Emerge o escândalo do menino Raoul

Raoul recebido como herói na Suíça em novembro Keystone

A família de Raoul Wüthrich, 11 anos, que passou 2 meses e meio em prisão americana sob acusação de ter abusado de sua irmã de 5 anos apresentou queixa contra autoridades do Colorado. Estima que a detenção e prisão do menino foi ilegal.

Este conteúdo foi publicado em 24. maio 2000 - 13:01

Raoul foi preso em 30 de agosto de 1999, acusado de incesto por uma vizinha da família Wüthrich, em Denver, capital do Colorado.

Segundo a vizinha ele tentou abusar da irmãzinha de 5 anos. Segundo a família ele a ajudava fazer chichi.

Raoul passou 73 dias em prisão para menores, em Denver. Foi libertado depois que a justiça constatou "vício processual".

A queixa visa várias pessoas, entre as quais três jornalistas do Denver Post, acusados de difamação, o procurador do Colorado, David Thomas, vários de seus assessores.

A polícia não tinha ordem de prisão e efetuou a detenção em plena noite. Perquisição na casa dos pais e interrogatório de Raoul teriam sido também ilegais.

Os informes são conflitantes sobre o pedido de indenização que pode ser de 750 mil dólares.

Em tempo: Raoul e sua família vivem agora na Suíça, onde o caso repercutiu muito na época.

swissinfo com agências.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?