Envie um pedaço dos Alpes pelo correio

Os cartões vêm com pedaços do Matterhorn. Keystone

Turistas na Suíça podem agora "enviar" pelo correio um pedaço dos Alpes ao exterior. A curiosa idéia vem de empresários, que passaram a colar amostras da montanha Matterhorn em cartões postais.

Este conteúdo foi publicado em 29. outubro 2005 - 06:53

O que parece um lucrativo negócio é, na realidade, um projeto para ajudar deficientes mentais.

Os cartões postais agora já não mostram apenas a montanha mais conhecida da Suíça, o "Matterhorn", mas também verdadeiros ícones dos Alpes como as montanhas "Jungfrau" e "Eiger".

Vender pedaços dos Alpes suíços não é novidade para Jean-Bernard Quarroz e Pierre-André Zufferey, dois empresários originários do Valais, uma região montanhosa no sul da Suíça.

Há mais de dez anos atrás, os dois amigos de longa data criaram a "Rock in the Box", um
pequeno negócio que tinha por fim vender amostras de pedra retiradas do Matterhorn e embaladas em pequenas caixas. Para muitos turistas, esse é o perfeito souvenir das férias nas montanhas suíças.

A idéia de colar um pedaço do Matterhorn em cartões postais surgiu num momento de inspiração.

Conchas da Itália

Durante os testes com protótipos de couro, alumínio e plástico para as caixas de pedras, a esposa de Zufferey enviou um cartão postal da Itália contendo uma concha fixada.

Inspirados pela divertida lembrança de férias, o casal resolveu experimentar com pedras. A idéia pegou, eles patentearam o produto e assim surgiu um cartão postal diferente dos outros.

O próximo passo ocorreu quando os dois amigos obtiveram permissão oficial para extrair rochas do Matterhorn.

Embaladas num invólucro de plástico com um diâmetro de três centímetros e apenas um centímetro de espessura, os cartões postais correspondem às normas adotadas pelos correios.

Mesmo os cartões especiais custando três ou quatro vezes mais do que os comuns, compradores não faltam. No início da temporada, centenas deles já haviam sido vendidos.

Atualmente a lista de compradores aumentou. Ela inclui pontos turísticos como o Grindelwald - o conhecido vilarejo de montanhas próximo às montanhas Eiger, Mönch e Jungfrau - o castelo de Chillon, o lago de Genebra e a cidade de Gruyère.

Ajuda a deficientes

Os primeiros beneficiários do bem-sucedido negócio não são exatamente os próprios empresários, mas sim deficientes físicos.

Jean-Bernard Quarroz é membro de uma fundação de apoio a pessoas com deficientes mentais. Ele aproveitou então para incluir alguns deles na produção.

- A venda dos cartões não apenas traz dinheiro ao projeto e possibilita o pagamento de salários aos colaboradores, mas também enriquece a vida dos participantes. As pessoas na rua costumam perguntar-lhes se eles são as pessoas que fazem os cartões. Isso é uma forma de reconhecimento do seu trabalho, que tem também um grande valor terapêutico - afirma Quarroz.

Ao mesmo tempo, eles se beneficiam pelo fato de terem mais contatos sociais graças às tarefas como levar as encomendas para o correio.

- Lá muitos habitantes os reconhecem e eles ficam satisfeitos. Isso é importante para a integração dessas pessoas na sociedade - analisa.

Negócios regionais

Ao mesmo tempo que a venda de cada um dos cartões postais trazem rendimentos para a fundação, eles também são impressos em vários diferentes locais.

As pedras são quebradas até adquirirem o tamanho ideal na prisão local. Já os pequenos recipientes de plástico são fabricados na Alemanha.

- A participação de deficientes é pré-requisito para obter a permissão oficial da fabricação dos cartões em outras regiões da Suíça - explica Quarroz, o dono da patente do produto.

Em Grindelwald, os cartões são fabricados na associação de deficientes mais próxima, que está em Interlaken. Gruyère tem sua própria associação regional.

swissinfo e Pierre Berclaz (ATS)

Breves

Os criadores dos cartões postais vêm do Valais, região montanhosa localizada ao sul da Suíça, no coração dos Alpes suíços.

Em pontos turísticos como na montanha "Zermatt" e no vilarejo de Grindenwald os turistas encontram os cartões postais com pequenas amostras de pedras retiradas dos Alpes.

Embora os cartões postais com pedras dos Alpes sejam mais caros que os comuns, suas vendas têm sido um sucesso.

Os autores da idéia garantem que os lucros do negócio beneficiam um grupo de deficientes físicos: eles montam os cartões postais e recebem um salário e dinheiro para outros projetos.

A participação de deficientes é um pré-requisito para a autorização da manufatura de cartões semelhantes por empresários do turismo.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo