AFP

Echeverría se posicionou com seu skate entre uma mulher e os agressores

(afp_tickers)

O governo espanhol concedeu nesta sexta-feira uma condecoração post mortem a Ignacio Echeverría, morto nos atentados de Londres depois de defender uma mulher dos agressores.

O Executivo do presidente, Mariano Rajoy, como forma de "reconhecimento nacional", concedeu a Grande Cruz do Mérito Civil a este espanhol de 39 anos, funcionário em Londres do HSBC e originário de Madri.

Echeverría, cuja morte não foi confirmada até quarta-feira, se colocou com seu skate entre uma mulher e os agressores, o que lhe valeu o apelido de "herói do skate". O rapaz foi uma das oito vítimas fatas dos atentados.

Seu corpo será repatriado no sábado à Espanha, onde chegará à base aérea de Torrejón de Ardoz, arredores de Madri, em um avião do Estado no qual também viajarão os seus familiares que foram a Londres em sua busca, informou à AFP uma fonte do Ministério espanhol das Relações Exteriores.

"Era um homem de bem, um cidadão exemplar que nessa noite trágica teve a valentia de ficar diante dos terroristas para tentar salvar a vida de uma jovem que estava sendo atacada por eles", elogiou o porta-voz do governo espanhol, Íñigo Méndez de Vigo.

"É uma demonstração de altruísmo, de generosidade, de nobreza, de solidariedade, de um grande coração de alguém que certamente teve um comportamento heroico", acrescentou Méndez de Vigo.

A demora das autoridades britânicas em confirmar a morte de Echeverría - o último identificado dos oito mortos - foi muito criticada pelo governo espanhol, que manifestou a sua "perplexidade".

AFP

 AFP