Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Estatísticas de estrangeiros Imigração para a Suíça diminui

No primeiro semestre de 2019, menos pessoas da União Europeia e dos países da EFTA, bem como de países terceiros, se mudaram para a Suíça do que há um ano.

A welcome sign

Um cartaz de boas-vindas no serviço de integração de Chur, no leste da Suíça

(Keystone)

Um total de 63.333 pessoas se estabeleceram na Suíça entre janeiro e junho, anunciou a Secretaria de Estado para Migração (SEM) na terça-feira (23). Isto é 1,8% menos do que no mesmo período do ano passado. Enquanto 44.321 pessoas imigraram de países da UE/EFTA, um decréscimo de 1,3%, a imigração de países terceiros caiu 2,8% para 19.012. 

Ao mesmo tempo, 35.832 estrangeiros deixaram a Suíça, 3,9% a menos que no mesmo período do ano passado. Considerando as mortes e naturalizações, a migração líquida para a população estrangeira residente foi de 24.672 pessoas no primeiro semestre do ano, uma queda de 0,8%. 

Mais da metade dos imigrantes (33.245 ou 52,5%) veio à Suíça para trabalhar. Em comparação com o ano anterior, houve um aumento nos setores econômicos da indústria e serviços. Por outro lado, a imigração diminuiu para os empregos na agricultura.

Menos reagrupamentos familiares 

Para 17.701 pessoas (28%), o reagrupamento familiar foi a razão para se estabelecer na Suíça. Isto é 8,6% menos do que no mesmo período do ano passado. Mais de uma em cada cinco delas era membro da família de um cidadão suíço. 

Dos países da UE/EFTA, 8.499 pessoas - principalmente da Itália, Alemanha, França e Portugal - se mudaram para a Suíça para o reagrupamento familiar. Havia 9.202 pessoas de países terceiros, com o Kosovo no topo da lista, seguido da Macedônia do Norte, Brasil e Índia. 

Na primeira metade do ano, 4.676 estrangeiros deslocaram-se para a Suíça para formação ou aperfeiçoamento profissional. Além disso, 2.383 pessoas receberam uma autorização de residência sem emprego remunerado e 3.064 pessoas do setor de asilo mudaram seu status de residência. 

De acordo com a SEM, no final de junho, cerca de 2,1 milhões de estrangeiros viviam na Suíça. Destes, 323.384 vieram da Itália, 308.532 da Alemanha, 265.501 de Portugal e 137.514 da França. A Suíça tem uma população total de 8,4 milhões de habitantes.


A Suíça parece estar perdendo o seu brilho para os imigrantes europeus. Entre janeiro e setembro deste ano, a imigração dos países da UE caiu 26% em comparação com o mesmo período do ano passado. (RTS/swissinfo.ch) A televisão pública suíça, RTS, diz que 7.891 portugueses chegaram aqui, mas 7.912 deixaram o país, citando vários motivos para a partida. A Suíça seria, assim, cara demais para eles, com pouco sol, além da situação econômica estar se recuperando em sua terra natal. Michael Siegenthaler, do Instituto Econômico KOF  do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique (ETH), diz que a queda nos números deve-se à economia da Europa que está crescendo mais rapidamente do que a da Suíça. Ele acrescenta: "Se a tendência persistir, a imigração em 2017 será a mais baixa em mais de dez anos". No entanto, o KOF prevê que o produto interno bruto suiço (PIB) cresça 2,2% em 2018, em comparação com 0,8% este ano, o que poderia tornar o país alpino mais atraente para os imigrantes. De acordo com os últimos números da Secretaria Federal de Migração (SEM), existem agora 2.047.684 estrangeiros que vivem permanentemente na Suíça. De janeiro a setembro de 2017, 67.039 estrangeiros chegaram aqui dos estados da UE e da EFTA.


swisinfo.ch/fh

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.