Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Eurocopa promete ser mina de ouro para a Uefa

Operadora do Estádio da Suíça espera não ter prejuízo com o Euro 2008

(Keystone)

O Campeonato Europeu de Fubebol (Euro 2008), que acontece este ano na Suíça e na Áustria, deve se tornar o torneio mais lucrativo da história da Uefa.

Enquanto a entidade espera um lucro de aproximadamente 1 bilhão de francos suíços, as operadoras dos estádios já estarão satisfeitas se não tiveram prejuízos.

A Eurocopa 2008 na Suíça e na Áustria deve se transformar no torneio mais lucrativo de todos os tempos para União Européia de Futebol (Uefa). Os organizadores esperam receitas 45% superiores às obtidas em 2004 em Portugal.

Durante o torneio em junho de 2008, a Uefa espera arrecadar 2,08 bilhões de francos suíços. Em 1992, na Suécia, obteve apenas 68 milhões de francos. Desde então, as receitas explodiram, principalmente devido à venda dos direitos de transmissão dos jogos pela televisão.

A metade da receita – cerca de um bilhão de francos – será usada pela Uefa para cobrir os custos do torneio (por exemplo, aluguel de estádios, gastos com segurança e marketing, pagamentos às oitos cidades-sedes, custos de pessoal). Nesse montante estão incluídos também os prêmios para as seleções participantes.

Mas ainda sobra um bilhão de francos de lucro operacional. Com esse dinheiro, a Uefa pretende financiar projetos de desenvolvimento nos 53 países-membros da entidade – desde a construção de estádios até o fomento ao futebol juvenil ou feminino.

Operadoras preocupadas

O Euro 2008, portanto, é uma galinha dos ovos de ouro para a Uefa. As operadoras dos estádios, porém, já estarão satisfeitas se não contabilizarem prejuízos.

Stefan Niedermaier, diretor-executivo do Estádio da Suíça, em Berna, diz esperar "uma festa pacífica do futebol, que torne nosso estádio conhecido em todo o mundo".

Milhões de telespectadores devem ser testemunhas, quando for escrito um novo capítulo da história do futebol mundial no legendário gramado do Wankdorf, antigo nome no Estádio da Suíça, que foi palco da final histórica da Copa de 1954 entre a Alemanha e a Hungria (3 a 2). Só que agora a grama é sintética.

Niedermaier alegra-se pelo fato de o terceiro maior evento esportivo do mundo acontecer também em "seu" estádio. As questões de segurança não lhe tiram o sono. Mas ele tem um pesadelo: "Que, no final, percamos dinheiro com a Eurocopa."

Esse temor é fundado, porque a UEFA EURO 2008 SA, como organizadora do evento, é uma locatária exigente. Além do aluguel do estádio, ela também paga uma indenização por custos com segurança e – estando satisfeita com o locador – também lhe concede um "bônus por desempenho".

Isso foi definido nos contratos assinados com as operadoras de estádios em 2004. Mas os detalhes só foram revelados mais tarde. "As exigências vieram a conta-gotas", reclamou recentemente o presidente da fundação que administra o estádio de Genebra, Jean-Pierre Carera.

Longa lista de exigências

E a lista de exigências tornou-se cada vez mais longa. Nas áreas de segurança, VIP e mídia elas chegam a ser muito maiores do que as feitas para os jogos da Suíça contra a França e a Turquia pelas Eliminatórias da Copa 2006.

Um exemplo: o Estádio da Suíça tem 128 lugares para representantes da mídia, ampliáveis para 256. Para a Eurocopa foram exigidos 500 lugares, sendo que todas as cabines existentes são pequenas demais e têm de ser ampliadas. Só essa obra custa cerca de 130 mil francos.

Balanço equilibrado como meta

A lista dos desejos expressos pelos organizadores do torneio causa custos milionários. Ainda não se sabe quem pagará a conta – as negociações estão em andamento. As operadoras dos estádios de Berna e da Basiléia estarão satisfeitas se atingirem uma "soma zero" em junho.

"O Euro 2008 com certeza não é lucrativo para nós", afirma Monika Huser, consultora de comunicação da Basel United. Como seus colegas em Berna, ela espera que a Eurocopa compense ao menos em termos de imagem.

Dinheiro do contribuinte

Diferente é a situação em Zurique e Genebra, onde há dinheiro do contribuinte em jogo. Os responsáveis em Zurique não falam sobre o contrato com a Uefa, mas lembram que, em 2005, a população não só votou favorável ao investimento de 110 milhões de francos na construção do novo Estádio do Letzigrund, como também aprovou 11,3 milhões para seu reequipamento com vistas ao Euro 2008.

Já os políticos em Genebra estão irritados com os constantes aumentos dos custos. Carera teve de renunciar por pressão do governo, depois que os custos da remodelação do estádio para o Euro saltaram de 3,6 milhões para 14,6 milhões de francos.

swissinfo com agências

Euro 2008

Como anfitriãs da Eurocopa, a Suíça e a Áustria se classificaram automaticamente para o torneio, que acontece de 7 a 29 de junho de 2008.

Os 31 jogos serão disputados em quatro estádios suíços (Basiléia, Berna, Genebra e Zurique) e em quatro austríacos (Innsbruck, Klagenfurt, Salzburg e Viena). A final será disputada em 29 de junho em Viena. A Suíça disputa os jogos da primeira fase na Basiléia.

Os custos do torneio para o país são estimados em 182,1 milhões de francos. O governo federal cobre um montante de 82,78 milhões de francos.

Aqui termina o infobox

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.