Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Eurocopa também será desafio para os hospitais

Durante o Mundial na Alemanha, as equipes de urgência foram muito solicitadas

(Keystone)

Durante a Eurocopa, os pronto-socorros dos hospitais deverão ser ainda mais solicitados. Os hospitais suíços se preparam para o evento.

Na Copa da Alemanha, em 2006, as pessoas tiveram de ter paciência para ser atentidas, com aumento de 20 a 30% dos casos.

Um cenário similar tem muita probabilidade de se repetir durante a Europa, em junho, na Suíça e na Áustria.

Pierre Brennenstuhl, responsável pela segurança no Hospital Universitário de Genebra confirma: "durante o Euro esperamos um aumento da demanda por atendimento similar ao que ocorreu na Alemanha".

Em Basiléia, o cenário mais otimista e plausível (que não leva em consideração uma acidente grave) prevê um um aumento do atendimento entre 5 e 10% em dias normais e de até 25% em dias de jogos, afirma Andreas Bitterlin, porta-voz do Hospital Universitário de Basiléia. Atualmente, os serviços de urgência atendem uma média de 100 pacientes por dia.

Dispositivo pré-hospitalar

Para evitar uma sobrecarga de trabalho nos hopitais, os responsáveis sanitários reforçam o dispositivo pré-hospitalar.

"Criaremos postos médicos nas imediações dos estádios e das arenas com os telões onde haverá muita gente como no centro esportivo do Fim do Mundo ou na quadra de Vernets, (ambos em Genebra) que será transformada em discoteca, explica Pierre Brennenstuhl.

Em Basiléia e outras cidades suíças que sediarão jogos do Euro, o princípio é o mesmo: atender "nos postos" descentralizados, afirma Andreas Bitterlin. Nas quatro cidadades também serão utilizadas as infra-estruturas da proteção civil.

"Trata-se sobretudo de reservar os hospitais às intervenções maiores, observa
Brennenstuhl. Os postos de pronto atendimento prestarão os primeiros serviços, dirigindo os casos mais graves para os hospitais.

Sobretudo casos de ambulatório

"Durante o Mundial da Alemanha - lembra Brennenstuhl – a grande maioria dos casos requeria apenas tratamento ambulatório; não houve um aumento significativo de casos de traumatismo grave. Além disso, foi constatada uma redução do número de acidentes em dias de jogos".

Uma hipótese mais problemática pode ocorrer em caso de epidemia. Em Basiléia, prevê uma situação dessas - embora probabilidade seja considerada ínfima - em que deveriam ser hopistalizadas cerca de uma centena de pessoas.

Para enfrentar uma emergência similar os hospitais podem aplicar o mesmo plano de um caso de catástrofe através de um serviço sanitário coordenado (ler box).

Horas extras

Outra medida prevista é que durante a Eurocopa, os pessoal hospitalar terá de fazer horas extras. Em Genebra e Berna, as enfermeiras foram avisadas da eventualidade de serem chamadas a trabalhar além do serviço normal de guarda nos hopistais.

Em Zurique e Basiléia, a direção dos hospitais decidiu suspender as férias de parte do pessoal, especialmente médicos e pessoal de pronto-socorro, cirugia, radiologia e tansportadores. A medida é considerada "indispensável" por Andreas Bitterlin, embora "será necessária uma boa organização para o pessoal tirar férias depois da Eurocopa".

Para evitar situações de falta de pessoal em outras épocas do ano, em Genebra e Berna, evitou-se um plano de pessoal durante a Eurocopa".

Uma decisão dessas acarreta custos, afirma Pierre Brennenstuhl. "Não se pode simplesmente pedir que os médicos permaneçam no hospital à espera que aconteça algo. Como durante o resto do ano, estão sempre prontos para enfrentar uma emergência, sem saber se ela realmente ocorrerá".

swissinfo, Daniele Mariani

Breves

A Eurocopa ocorrerá na Suíça e na Áustria de 7 a 29 de junho.

Na Suíça, serão disputados 15 jogos: três em Genebra, Berna e Zurique, seis em Basiléia. São esperados de 1 a 1,4 milhão de torcedores estrangeiros.

Só em Basiléia, os organizadores prevêem uma afluência de 200 mil turistas por dia e 110 mil pernoites. Cerca de 750 mil pessoas deverão assistir os jogos nos telões em Basiléia.

Aqui termina o infobox

Serviço sanitário coordenado

Na Suíça, a competência em matéria de saúde pública é dos cantões. No plano federal existe o Serviço Sanitário Coordenado, que coordena os meios disponíveis - pessoal, material, instalações - das instalações civis e militares em caso de situação excepcional, como por exemplo um acidente com um grande número de vítimas.

Para a Eurocopa 2008, o SSC elaborou um plano de hospitalização, para garantir assistência médica a todos que necessitarem.

Em caso de acidente de vastas proporções, os responsáveis dos socorros disporão de um sistema eletrônico de gestão dos pacientes que permite avaliar imediatamente a capacidade de hospitalização nas diferentes instalações.

Aqui termina o infobox


Links

×