Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Eurocopa terá policiais para lotar mais de um estádio

Policiais "treinam" para a segurança da Eurocopa em Genebra.

(Keystone)

O esquema de segurança da Eurocopa assemelha-se a uma operação de guerra. Somente na Suíça, 31,2 mil policiais e soldados serão mobilizados para o torneio, o suficiente para encher um dos estádios das quatro cidades-sede.

Na Áustria, onde os estádios do Euro 2008 têm, em média, 33 mil lugares, 27 mil policiais farão a segurança da competição e tentarão inibir a ação dos hooligans.

Além disso, 170 conhecedores da cena futebolística estarão em contato direto com os torcedores.Esses dados constam num memorando de entendimento assinado esta semana pelas autoridades de segurança da Suíça e da Áustria com seus vizinhos.

Além das forças de segurança suíças e austríacas, 2.500 policiais de outros países europeus participarão da operação. O maior contingente será de alemães – 1.700 policiais – a metade para cada país anfitrião da Eurocopa.

Tropa internacional

O apoio das polícias estrangeiras deu bons resultados na Alemanha durante a Copa 2006. O esquema de segurança daquele torneio serviu de modelo para a Áustria e a Suíça.

Genebra terá ainda um reforço policial de 750 franceses. A Áustria contará também com o apoio de policiais da Croácia (31), da Polônia (25), da Suécia (15), da Grécia (12), da Rússia (11) e da Espanha (11).

Desde 2002, os policiais alemães têm o direito de efetuar prisões na Suíça, o que durante o Euro poderão fazer também na Áustria. O governo suíço, no entanto, limitou a 600 o número de policiais estrangeiros que poderão estar simultaneamente no país.

No decorrer do torneio, 850 policiais alemães atuarão principalmente em Zurique e na Basiléia. Trinta e um peritos alemães também ajudarão a identificar os hooligans.

Hooligans serão barrados nas fronteiras

O esquema de segurança prevê que torcedores potencialmente violentos serão impedidos de entrar na Suíça e na Áustria. Apesar de fazer parte do espaço Schengen, a Áustria vai reintroduzir em parte o controle de fronteiras durante o Euro.

Um tema polêmico entre os austríacos é a vigilância do espaço aéreo, que o país só pode garantir com a ajuda de aviões de caça F-5 das Forças Armadas da Suíça.

Segundo o ministro da Defesa e dos Esportes da Suíça, para o esquema se segurança da Eurocopa serão mobilizados 16 mil policiais (2 mil de fronteira), 200 seguranças da rede ferroviária e 15 mil soldados das Forças Armadas.

Torcedores pacíficos

Nos dois países organizadores do torneio também estão sendo recrutados funcionários de empresas prestadoras de serviços de segurança. Estima-se que cerca de 3 mil deles na Suíça e 3.800 na Áustria farão parte do esquema de segurança da Eurocopa.

Ao mesmo tempo em que está sendo montada a "tropa internacional para o Euro", o ministro austríaco do Interior, Christoph Berger, garante que 99% dos torcedores são pacíficos e não devem dar muito trabalho.

Essa informação deve agradar aos políciais austríacos, que ainda negocia a duração de sua jornada de trabalho durante a competição. Eles querem ter folga de 48 horas depois de cada período de 24 horas de serviço.

swissinfo, Geraldo Hoffmann (com agências)

Números da segurança

Embora a Áustria e a Suíça sejam países de baixos índices de criminalidade, são obrigados a montar um forte esquema de segurança para a Eurocopa para atender às exigências da Uefa.

Na Suíça, serão mobilizados 16 mil policiais, 15 mil soldados e cerca de 3 mil seguranças particulares para este fim.

Na Áustria serão 27 mil policiais e aproximadamente 3.800 seguranças particulares.

Os organizadores temem principalmente ameaças de ataques terroristas e tumultos causados por hooligans. Por isso, receberão o apoio de 2.500 policiais estrangeiros.

Aqui termina o infobox

×