Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Eurocopa termina em grande festa popular

"E viva Espanha" na fanzone em Zurique.

Mais de 200 mil pessoas foram às ruas da Suíça, neste domingo, para acompanhar a final da Eurocopa 2008 entre Alemanha e Espanha.

Também em Viena, palco da decisão, e em muitas cidades alemãs e espanholas o clima foi de uma grande festa popular. As comemorações dos espanhóis entraram pela madrugada.

Centenas de milhares de pessoas na Suíça, na Áustria, co-anfitriãs da Eurocopa 2008, e nos países finalistas – Alemanha e Espanha – assistiram à final a céu aberto.

Na Suíça, as praças de fãs voltaram a lotar no final da tarde. Em Zurique, havia mais de 100 mil pessoas nas ruas do centro; 45 mil lotaram a praça de fãs à beira do lago, na chamada Bellevue, onde estavam instalados três telões.

Pouco antes do apito inicial, a polícia recomendou aos torcedores que ainda estavam a caminho que procurassem um local fora da área de public wieving (já lotada) para assistir ao jogo. Houve até uma solicitação à mídia para divulgar essa informação.

Zurique tem a maior comunidade alemã na Suíça (25 mil) contra apenas 4,6 mil espanhóis. Nas fanzones, os alemães também eram maioria, mas muitos suíços torceram pela Espanha, equilibrando os gritos de guerra "Super Deutschland" e "Viva Espanha".

Depois do gol de Torres, aos 33 min, os torcedores alemães levaram um choque e só voltaram a se manifestar com entusiasmo nos minutos finais do primeiro tempo e no início da etapa final. Após o jogo, restiraram-se cabisbaixos, tristes.

Devido ao placar apertado, de 1 a 0, também os espanhóis ficaram com o grito da vitória preso na garganta e só festejaram de verdade ao final. "Campeones, somos campeones", gritavam, saltando de alegria e se abraçando à saída da Bellevue. Houve também carreatas pelo centro da cidade (veja as fotos no blogLink externo).

Outras cidades-sede

Na Basiléia, entre 30 mil e 40 mil pessoas assistiram à última partida da Euro 2008 nas praças de fãs. As cores preto, vermelho e dourado da bandeira alemã dominaram o cenário. Ao final do jogo, elas desapareceram rapidamente.

Em Genebra, os espanhóis, com as cores vermelho e amarelo, eram maioria entre os mais de 40 mil visitantes do public wieving.

Também em Berna, a seleção espanhola gozou de mais simpatia do que a alemã. No intervalo, porém, os torcedores tiveram de fugir correndo da Praça do Palácio Federal por causa de uma forte trovoada de granizo. Após a tempestade, a maioria voltou.

Em Viena igualmente houve um grande público na fanzone em frente à prefeitura. Segundo as autoridades, cerca de 65 mil pessoas reuniram-se na praça com capacidade para 70 mil.

Decepção na Alemanha, festa da Espanha

Nas cidades alemãs, o clima de festa popular com as cores nacionais começou à tarde. Devido ao grande afluxo de torcedores, a fan-meile de Berlim teve de ser fechada três horas antes do jogo.

Na Copa 2006, a euforia dos alemães não teve limites. Até mesmo a dipusta do terceiro lugar reuniu um milhão de pessoas junto ao Portão de Brandemburgo, cartão postal da cidade.

Neste domingo, o gol de Torres despejou água na cerveja dos 500 mil fãs reunidos no mesmo local. Após o apito final, reinava um silêncio de cemitério, escreveu a agência de notícias alemã DPA.

Dezenas de milhares de alemães reuniram-se também em outras cidades: 42 mil em Hamburgo, 40 mil em Stuttgart, 50 mil em Frankfurt, mais de 70 mil em Munique. A impressão era de que a Eurocopa acontecia na Alemanha.

No Estádio Olímpico de Munique, houve um princípio de tumulto ao final dos 90 minutos, quando torcedores decepcionados invadiram o gramado. Alguns sofreram ferimentos leves, segundo a polícia.

Grande decepção na Alemanha, uma gigantesca festa até a madrugada desta segunda-feira em toda a Espanha. Em muitas cidades, os espanhóis assistiram à final em telões. O centro da festa foi a Praça Colombo, em Madri, onde a seleção campeã da Europa será recebida pela torcida na tarde desta segunda-feira.

swissinfo, Geraldo Hoffmann, de Zurique

Opinião

A Eurocopa custou a deslanchar. Durante os preparativos, as seleções da Áustria e da Suíça jogaram tão mal que desanimaram os torcedores nos dois países.

O torneio começou com chuva e as duas equipes anfitriãs foram eliminadas na primeira fase, o que não necessariamente contribuiu para melhorar o astral.

Por sorte, os holandeses vieram em massa – mais de 150 mil. Trouxeram um futebol empolgante, uma cor quente e uma torcida alegre, contagiante. Diante da maré laranja, até o tempo ruim foi embora. Pena que daí também a Holanda foi despedida do torneio.

No final, sobraram os espanhóis e os alemães, duas grandes nações do futebol. E dois povos que também sabem festejar. Neste domingo, suíços e austríacos torceram, festejaram ou se entristeceram junto com os finalistas. Uns mais, outros menos. Disseram adeus à Eurocopa com muito sol e muita festa.

A Áustria e a Suíça estão de parabéns pela organização do torneio. A Espanha está de parabéns. Celebrou o futebol bonito, ofensivo, e foi recompensada com o título. A melhor torcida que veio à Eurocopa foi a holandesa. A que mais fez festa em casa, até a final, foi a alemã. Também ela está de parabéns. Porque sem torcida não há futebol.

Geraldo Hoffmann

Aqui termina o infobox

×