Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Exército suíço vende parte do armamento

O obuseiro M-109 vendido aos Emirados Árabes Unidos.

(Keystone)

A Suíça está vendendo mais de 2 mil tanques e uma centena de aviões militares de segunda mão, além de munição, devido a reforma do Exército.

Os primeiros clientes são os EUA e os Emirados Árabes Unidos. O Brasil também está interessado nos aviões.

A Suíça tem uma grande quantidade de armamento de segunda mão para vender mas a concorrência está difícil. "Não somos os únicos que querem vender e há mais oferta que demanda", afirma o porta-voz do grupo do armamento no Ministério da Defesa, Godi Huber.

Interesse do Brasil

Ele considera, no entanto, que as chancer de venda são boas porque o material suíço está em bom estado.

Mais de 2 mil tanques e uma centena de aviões estão a venda. Com a reforma do Exército em andamento - com redução do contingente de milícia e uma maior profissionalização - o armamento excedente será vendido para fazer caixa e cortar gastos de manutenção.

Por enquanto, só foram vendidos 40 tanques para os Emirados Árabes Unidos e 32 aviões Tiger para os Estados Unidos.

O Brasil também está interessado nos aviões Tiger e uma delegação brasileira já esteve na Suíça, confirmou Godi Huber a swissinfo. Ele acrescenta, no entanto, que "não podemos dar detalhes antes da conclusão das negociações".

Garantia de não reexportar

Os Estados Unidos pagaram 25 milhões de francos suíços (US 19 milhões) pelos 32 aviões de combate Tiger F-5E, que serão usados para treinamento, segundo o Ministério suíço da Defesa. O primeiro aparelho foi entregue em abril e o ultimo será entregue em 2007.

O montante do negócio com os Emirados Árabes Unidos não foi revelado porque a operação é mais complicada: os 40 tanques obuseiros M-109 serão rearmados estatal suíça Ruag, fabricante de armas e munições.

A lei sobre exportação de material de guerra quase impede a conclusão desses dois contratos. De fato, a lei proibe a exportação para países em guerra em conflitos potenciais.

Economia na manutenção

Dos Emirados Árabes Unidos, foi exigido um compromisso de que o material não será reexportado posteriormente. Para os Estados Unidos, havia uma proibição expressa do governo suíço devido a guerra do Iraque.

Finalmente, os dois contratos foram liberados pela seção de controle das exportações de armas da SECO - Secretaria Federal de Economia.

Entre o material a venda estão, além dos aviões de caça Tiger, 20 aviões Mirage, 12 aviões Hawk, 177 tanques M-109, 190 tanques 68/88 e mais de mil tanques granadeiros M-113.

Se todo esse material for vendido, o Ministério da Defesa calcula economizar, a partir de 2007, 100 milhões de francos por ano (US 74 milhões) com gastos de manutenção.

swissinfo


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×