Fábrica suíça se apressa para vacina contra Covid-19

Lonza está construindo três linhas de produção de vacinas em Visp, no cantão do Valais, a um custo de 210 milhões de dólares (CHF191 milhões) para fornecer 300 milhões de doses anuais. Keystone / Olivier Maire

A fábrica Lonza em Visp, em um vale profundo dos Alpes suíços, é uma colmeia em atividade. Os trabalhadores estão correndo para montar linhas de produção para poder começar a fabricar uma vacina contra a Covid-19 para a empresa americana Moderna no final deste ano.

Este conteúdo foi publicado em 12. outubro 2020 - 09:00
swissinfo.ch/fh

O espaço de 2.000 metros quadrados na nova fábrica Lonza ainda é um canteiro de obras. Mas Torsten Schmidt, que dirige as instalações da empresa em Visp, no cantão do Valais, sudoeste da Suíça, está confiante.

"Tudo estará pronto para produzir as primeiras doses em dezembro", disse aos repórteres na semana passada.

A empresa farmacêutica suíça está construindo três linhas de produção de vacinas em Visp, a um custo de 210 milhões de dólares (CHF191 milhões), para fornecer 300 milhões de doses anuais para o resto do mundo. Em paralelo, novas linhas de produção nas instalações da Lonza em Portsmouth, New Hampshire, visam começar a fabricar ingredientes de vacinas exclusivamente para os EUA em novembro.

Torsten Schmidt, chefe da linha de produção de vacinas "Ibex" na fábrica da Lonza em Visp, onde parte da vacina Moderna mRNA Covid-19 será produzida. 6 de outubro de 2020. Keystone / Olivier Maire

Um projeto deste tamanho normalmente leva dois anos, explica Schmidt, mas devido à urgência da pandemia, eles tiveram apenas oito meses para concluí-lo. Três equipes têm trabalhado 24 horas por dia, sete dias por semana.

"A entrega do equipamento foi fundamental", disse Schmidt à Reuters. "Você normalmente espera 12 meses; estamos falando aqui de 4 a 5 meses". No final, o CEO conversou com os CEOs dos fornecedores para conseguir que o equipamento fosse entregue".

Enquanto isso, a Lonza ainda está contratando alguns dos 200 trabalhadores necessários para operar as linhas de produção no distrito "Ibex" em Visp, que compreenderá seis prédios quando estiver terminado.

Vista do site Lonza em Visp, cantão do Valais, no sudoeste da Suíça. Keystone / Jean-christophe Bott

Esta corrida contra o relógio acontece enquanto cientistas e empresas farmacêuticas avançam em sua busca por uma vacina Covid-19 bem sucedida. Ainda não há vacina aprovada, mas 11 estão em testes avançados, incluindo da Pfizer, Johnson & Johnson e Moderna, cujo candidato depende de tecnologia nunca aprovada anteriormente que alista células humanas para ajudar a desencadear uma resposta imune.

A visita da imprensa à Lonza coincidiu, na terça-feira da semana passada, com o anúncio feito pela autoridade suíça de medicamentos Swissmedic de que havia começado a avaliar um candidato rival: a "Vacina Covid-19 AstraZeneca". É a primeira vez que um fabricante de medicamentos apresenta uma vacina contra o coronavírus para aprovação na Suíça. A AstraZeneca, que desenvolveu a vacina em colaboração com a Universidade de Oxford, apresentou seu pedido à Swissmedic no início de outubro.

Ingredientes

A Lonza tem um contrato de dez anos para fornecer ingredientes à Moderna, inclusive para até um bilhão de doses anuais de vacina Covid-19. Entretanto, a vacina ainda não recebeu aprovação formal dos reguladores americanos ou suíços.

Os ingredientes incluem uma versão sintética de mensageiro RNA  (mRNA), material genético, que é embalado dentro de minúsculas gotículas de gordura chamadas nanolipídios. Isto então instrui as células humanas a fazer uma forma não replicante da proteína do pico do coronavírus e desencadear uma resposta imunológica no corpo.

Os ingredientes serão congelados a -70° Celsius e depois enviados de Visp para os Laboratorios Farmacéuticos Rovi SA da Espanha para "enchimento e acabamento", a etapa final da fabricação.

Doses suíças

A Suíça assinou um acordo com a Moderna para assegurar o acesso antecipado à vacina Covid-19 que a empresa americana de biotecnologia está desenvolvendo.

O país receberá 4,5 milhões de doses da vacina, o suficiente para vacinar 2,25 milhões de pessoas se, como esperado, duas doses forem necessárias por paciente.

Em paralelo a este acordo, o governo suíço continua negociando com outras empresas no que ele chama de "abordagem diversificada" para obter acesso a uma vacina. Ele também continua a apoiar projetos multilaterais para a distribuição justa de uma cura futura.

O governo destinou 300 milhões de francos suíços para a aquisição de uma vacina.

Em uma recente pesquisa de opinião realizada na Suíça, metade das pessoas interrogadas disse que seria vacinada contra a Covid-19 se uma vacina eficiente estivesse disponível. Os homens seriam mais propensos a fazê-lo do que as mulheres.

Conteúdo externo
Partilhar este artigo