Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Felipão conclama o povo português a se unir

Depois da coletiva, Scolari dirigiu treino fechado no Estádio de Genebra

(Keystone)

Em sua primeira entrevista à imprensa desde que a delegação de Portugal chegou à Suíça, no domingo passado, o técnico Luiz Felipe Scolari disse nesta sexta-feira saber da grande esperança que os portugueses do mundo inteiro têm na seleção e pediu que todos pensem "que eles também são da seleção".

Na véspera da estréia contra a Turquia, em Genebra, Scolari falou também do respeito pelo adversário, sobre seu próprio futuro e o de Cristiano Ronaldo.

Antes de responder às perguntas dos inúmeros jornalistas presentes, Luiz Felipe Scolari fez uma declaração: "Em primeiro lugar, quero agradecer a todos os meus atletas pelo empenho que têm demonstrado, aos funcionários da Federação que têm trabalhado comigo, aos técnicos portugueses e brasileiros pelo apoio manifestado nos últimos dias."

"Por fim quero dizer aos portugueses do mundo todo que neste Euro temos de estar unidos da mesma forma que estivemos em 2004 e que possamos viver intensamente este Euro até o final com carinho, amor e respeito", acrescentou.

Começar com vitória ou empate

Para Scolari, "o sucesso de Portugal é começar bem o Euro, com uma vitória ou um empate e depois seguir passo a passo". Lembrou que Portugal perdeu o jogo de abertura em 2004 e que gostaria de evitar isso agora.

"Respeito muito a Turquia, gosto da forma como jogam, muito parecido com a América do Sul. Eu - e os jogadores que trabalharam com ele - temos grande admiração pelo técnico Fatih Terim. Então uma equipe que tem um técnico de quem os jogadores gostam, se multiplica em campo".

Cristiano Ronaldo

Está se tornando difícil evitar as questões sobre Cristiano Ronaldo na seleção portuguesa. Scolari disse que se não tivesse confiança nele "como jogador e como pessoa", não o teria convocado nem dado a ele a responsabilidade de dividir a capitania da equipe.

"Ele está vivendo este momento normalmente, às vezes dorme mais, às vezes menos", disse o técnico. Ele recomendou aos jornalistas que economizem a pergunta sobre o futuro de Cristiano porque ele vai dizer que só falará disso depois do Euro.

Felipão disse ainda que nada que vem de fora vai dificultar o rendimento do jogador e precisou: "Espero de Cristiano o que ele sempre jogou na seleção, nada mais. Não quero que ele seja o melhor do mundo neste Euro. Quero que ele seja mais um da equipe portuguesa que tem condições de ganhar o Europeu."

Fator psicológico

O fato de, como técnico, nunca ter perdido para a Turquia (duas vitórias com o Brasil) "ajuda", mas ... com respeito". Scolari afirmou que tem mostrado vídeos da Turquia para analisar com os jogadores, mas que advertiu que eles serão melhores do que nos vídeos analisados. Reconheceu que o aspecto psicológico é muito importante neste momento, passando confiança aos jogadores portugueses.

Tem chovido toda a semana na Suíça, mas o fato de o gramado estar molhado e pesado não beneficiará Portugal nem a Turquia. "As características de jogo das duas seleções são similares", explicou o técnico, acrescentando que se fosse contra equipes, com um pouco mais de força, como Alemanha ou Itália, aí sim seria uma desvantagem para Portugal.

E se Portugal for eliminado?

José Mourinho, técnico que acaba de assinar com a Inter de Milão, declarou recentemente que "seria ridículo" se Portugal não se classificasse para as quartas-de-final.

Scolari disse que interpretou o termo pelos resultados anteriores de Portugal em 2004 e 2006. "Eu procuro sempre tirar um pouco da pressão sobre os meus jogadores, mas sabemos todos que, se não formos classificados para a segunda fase, tomaremos o bonde para Portugal, de cabeça baixa e vamos ouvir tudo o que temos de ouvir até o resto da vida." Felipão concluiu que as declarações de Mourinho não vão mudar nada do que os jogadores estão pensando.

Ele disse estar consciente da enorme expectativa que os portugueses do mundo inteiro têm na seleção e revelou que uma delegação brasileira virá assistir aos jogos de Portugal, em apoio a ele e à equipe lusa.

"Quando os jogadores tiram foto da torcida, como ocorreu quando chegamos na Suíça, é porque eles sentem o apoio e vão dar o melhor". Scolari disse esperar que os portugueses vibrem, participem e partilhem com os jogadores as dificuldades e a emoção de ganhar. "Acho que com isso evitaremos a decepção da primeira fase."

Preparação da equipe

Quanto à preparação, Scolari explicou que, quando os atletas chegaram à concentração em Viseu, havia "diversos níveis e tivemos de fazer diversos ajustes físicos e técnicos para que os 23 estivessem em condições de iniciar o Euro". Para alguns, foi preciso um trabalho específico, para outros, reduzir a sobrecarga.

Futuro de Felipão

Muito bem-humorado, Scolari falou de seu futuro, dizendo que pensava falar sobre isso no final da coletiva, mas um jornalista inglês perguntou se era verdade que irá para o Chelsea.

"Eu estou aqui pela seleção portuguesa e vou trabalhar até o final do Euro, e respondo pela seleção portuguesa. Se vou sair ou renovar o contrato é assunto meu e não vou mais falar sobre isso até lá. O que o Cristiano Ronaldo vai falar para vocês amanhã, eu já falo hoje", declarou.

swissinfo, Claudinê Gonçalves, em Genebra

Árbitros

Scolari disse os 16 árbitros escolhidos pela Uefa são os melhores do momento. Lembrou que haverá erros "porque fazem parte do futebol" e que um dia ele vai reclamar, como outros técnicos vão reclamar.

Lançou ainda um apelo para que a Uefa prolongue a idade-limite (atualmente de 45 anos) para os árbitros.

Felipão citou italiano Pierluigi Colina (que fez uma palestra esta semana para os jogodores portugueses), para dizer que muitos adquiriram muita experiência e mantêm a forma física, sugerindo que certos árbitros deveriam atuar até 50 ou 55 anos.

Aqui termina o infobox

Santinhos

O técnico da seleção portuguesa disse que recebeu 6 ou 7 imagens de Nossa Senhora de Fátima durante o estágio em Viseu e uma, de uma imigrante portuguesa, na Suíça.

Explicou que, para ele, significa que tem gente pensando nele e que, portanto, não se sente sozinho e sim mais forte.

Ele disse ainda que não pode guardar para sempre tudo o que recebe e, em Portugal, quando vai a uma igreja rezar, deixa lá as imagens que acumulou durante um certo tempo.

Aqui termina o infobox

×