Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Ferrovias comemoram 100 anos

Locomotiva das FFS de 1902

(Keystone)

O trem, principal meio de transporte na Suíça, existe no país desde 1847. Ao comemorar o centenário, as Ferrovias Federais Suíças (FFS), o mais importante segmento dos transportes públicos, enfrentam o desafio da concorrência e receiam a privatização.

Desde 1999, as FFS são uma sociedade anônima, mas a maior parte do capital é governamental. Atualmente as ferrovias suíças vão bem. Segundo seu diretor, Benedikt Weibel, "elas nunca foram tão bem quanto agora".

Weibel acha ser erro o que se considera "veleidades de privatização" e conseqüente desmantelamento das FFS para a criação de várias empresas (privadas) independentes. Para ele, uma empresa desse gênero "é inviável sem subvenções".

Exemplo britânico

O exemplo das ferrovias da Grã-Bretanha, onde a privatização foi catastrófica (com descuido das infra-estruturas e busca unicamente do lucro) lhe daria razão. Hoje o governo britânico está nacionalizando as ferrovias do país.

Para as ferrovias federais suíças um dos desafios é a concorrência, principalmente no transporte de cargas, em que o caminhão pode ser meio de transporte mais atraente.

A saúde financeira das FFS constitui, porém, trunfo importante. Em 1999, elas deram lucro, após terem mergulhado 10 anos em cifras vermelhas. O custo social foi importante: reestruturações implicaram em corte de pessoal e excesso de trabalho para os que ficaram.

Melhoras

As exigências do usuário, no entanto, têm sido levadas em consideração. As FFS criaram o que chamam de horário cadenciado, que funciona bem. Por exemplo, entre Genebra e Zurique - cerca de 280 km - é possível viajar, de meia em meia hora, durante todo o dia e as primeiras horas da noite.

Em quase todas as partes do país se pode chegar de trem, pois a Suíça tem a mais densa rede ferroviária do mundo. E os suíços são os que mais viajam, depois dos japoneses. Percorrem cerca de 2.000 km, em média, por ano.

Estão na frente da Dinamarca, Luxemburgo, Áustria, e Holanda, países em que o trem é igualmente bastante utilizado. A esse respeito, os norte-americanos dependem completamente do carro. Realizam em média, 0.5 km de trem por ano.

Entrosamento trem-carro

Um dos serviços introduzidos nos últimos anos é o chamado "RailLink".

Consiste em oferecer possibilidade de prolongar a viagem de trem por carro (pequeno veículo da marca Smart) em 42 estações do país. AS FFS partiram da idéia simples, de que "longas distâncias se realizam de preferência de trem e os trajetos curtos em carro". É o que chama de mobilidade integrada.

Na Suíça - país de 7 milhões de habitantes - 224 mil pessoas compram um passe anual ("Generalabonnement", em alemão). Um passe anual, de 2a. classe, custa 2.900 francos (1.980 euros) e o de 1a. classe 4.600 francos (3.140 euros).

750 mil passageiros/dia

Esse título de transporte dá direito à utilização de ônibus nas principais cidades do país e mesmo a diversos barcos, além de baratear preços de certos trechos que não figuram na rede incluída. Significa acesso a 500 empresas da área da ferrovia, transporte urbano e vias lacustres. Os 6.500 transportam 750 mil passageiros por dia e servem 740 estações ferroviárias.

Para quem os preços assustam, vale lembrar que o nível de vida na Suíça é um dos mais elevados do mundo, e que 1 milhão e 800 mil pessoas compram o cartão de meia tarifa. Custa 150 francos (102 euros) por ano ou 222 francos (151 euros) por dois anos e dá direito de pagar a metade do preço da passagem.

Histórico

O primeiro trem começou a circular na Suíça em 1847, no trecho Zurique - Baden (cerca de 30 km). E desde então as ferrovias floresceram no país. Nas primeiras décadas do rápido desenvolvimento desse novo meio de transporte, o governo deixou a iniciativa ao setor privado.

Essas empresas privadas, mais preocupadas com lucros, estiveram ligadas a bancos e especuladores estrangeiros (alemães, franceses, italianos). Com o ultraliberalismo ambiente, a rede ferroviária foi mal planificada, linhas não rentáveis e negligências com segurança.

Festa oficial

Depois de uma primeira tentativa em 1891, o governo conseguiu comprar cinco grandes companhias ferroviárias privadas. Em 1902 surgiram os "Caminhos de Ferro Federais". Mais 15 redes ou trechos foram nacionalizados em 1948.

Hoje comemoram 100 anos de existência. A festa oficial está prevista para dia 20 de abril em Olten, pequena cidade entre Berna e Zurique.

J.Gabriel Barbosa


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×