Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Formigas brigam por sexo

Rainhas botam, fecundam e cuidam do equilibrio no formigueiro

(Keystone)

A rainha tem interesse em manter o equilibrio entre machos e fêmeas mas as operárias do formigueiro preferem chocar e criar as fêmeas. Para resolver o conflito, a rainha fecunda um menor número de ovos. A descoberta da qual participa o biólogo suíço, Laurent Keller, é publicada na revista Science.

A vida no formigueiro, que pode ter até 15 milhões de indivíduos, é organizada mas cheia de conflitos. Escolher o sexo dos descendentes é uma das fontes de discórdia entre a rainha e as operárias.

A nova descoberta, publicada na edição de 17.8 na revista Science, é que pode haver compromisso entre interesses conflitantes para manter o equilibrio no formigueiro.

O artigo é assinado pelo prof. Laurent Keller, 40 anos, diretor do Instituto de Ecologia da Universidade de Lausanne, oeste da Suíça, eminente especialista em formigas. Cientistas belgas, franceses e americanos também participaram das pesquisas.

Solução é fecundar menos

Ele explica que a rainha põe os ovos e pode determinar o sexo das futuras formigas. Se a rainha fecunda os ovos, o "bebê" será fêmea, se não fecunda, será macho.

Só que as formigas que vão cuidar dos "bebês", têm prefêrencia pelas fêmeas e tendem a deixar morrer os machos. Isso ocorre, segundo Keller, por identidade genética. As adultas e os filhotes-fêmea têm três quartos dos genes em comum.

Para manter o equilibrio entre machos e fêmeas, a rainha costuma limitar o número de ovos fecundados, forçando assim as operarárias a também criarem os filhotes machos.

swissinfo com agências


Links

×