França 'salvou' sua temporada de verão graças ao turismo nacional

Banhistas aproveitam a praia de Mare e Sol em Coti-Chiavari, na ilha francesa de Corsica afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 16. setembro 2020 - 16:03
(AFP)

O turismo nacional "salvou" a temporada de verão na França, que sofreu uma forte queda na renda proveniente dos turistas internacionais devido ao impacto do coronavírus, segundo um relatório apresentado nesta quarta-feira (16) pelo secretário de Estado responsável por este setor.

A receita do turismo internacional caiu 49,4% de janeiro ao final de julho de 2020 na França, mas o turismo nacional compensou parcialmente essas perdas, disse Jean-Baptiste Lemoyne, durante uma reunião de gabinete.

Embora a catástrofe em termos de viagens para o exterior não poupe ninguém - como revelam os dados publicados na terça-feira pela Organização Mundial do Turismo (OMT), que informam uma perda de 460 bilhões de dólares para o setor em todo o mundo no primeiro semestre do ano -, a França parece resistir um pouco melhor do que alguns de seus vizinhos.

94% dos franceses que saíram de férias ficaram na França, o que indica que a queda prevista do gasto turístico em 2020, incluindo turistas franceses e estrangeiros, deve ser mais limitada do que na Espanha ou Itália, segundo o relatório.

Comparativamente, "em julho, primeiro mês de uma recuperação real da mobilidade internacional", a queda foi respectivamente de "-75% da assistência internacional para Espanha e -66% para Itália", contra -41% na França.

No entanto, Lemoyne pediu aos franceses que "continuem apoiando" o turismo nacional nos próximos meses, que ele estima que serão "complicados".

"Além da hoteleria em Paris e nas grandes cidades", a organização de eventos e as agências de viagens são os dois setores que mais sofreram com esta crise, diz o relatório.

Partilhar este artigo