Navigation

Fundo especial para vitimas do Holocausto é dissolvido

Documento de Arie Schpirer, sobrevivente do Holocausto. Hugues de Wurstemberger/Fundo Suíço para Vítimas do Holocausto

O governo federal da Suíça anuncia dissolução, até o final do ano, do Fundo especial criado a favor das vítimas do Holocausto

Este conteúdo foi publicado em 19. dezembro 2002 - 08:56

12 milhões de francos suíços (US$ 8,4 milhões) sobraram. Dois terços do dinheiro serão destinados ao Word Jewish Restitution (WJRO) e um terço à Cruz Vermelha Suíça (SRK).

O Fundo foi criado pelo governo federal da Suíça em 1997, durante a polêmica lançada publicamente sobre o papel do país durante a 2ª Guerra Mundial. Sob a presidência de Rolf Bloch, antigo presidente da Associação Israelita Suíça, o fundo destinou mais de 300 milhões de francos suíços (US$ 210 milhões) a mais de 300 mil sobreviventes do terror nazista. Estes vivem em mais de 60 diferentes países e têm hoje em dia entre 73 e 83 anos. O dinheiro veio de doações de bancos privados, do Banco Central Suíço, de empresas e pessoas físicas. Cada beneficiário recebeu entre 600 (US$ 420) e 2000 francos suíços (US$ 1403).

Grande parte das verbas vai para Israel

Mais de oito milhões de francos suíços (US$ 5,6 milhões), a grande parte do dinheiro que sobrou, serão transferidos para a organização judaica World Jewish Restitution, uma organização com sede em Jerusalém, Israel. 90% do dinheiro será destinado às vítimas do Holocausto ainda sobreviventes. Os 10% restantes irão financiar programas de pesquisa, formação e resgate de memória nesse setor.

Ajuda às vítimas de guerra e tortura

Com os quatro milhões de francos suíços (US$ 2,8 milhões) que receberá, a Cruz Vermelha Suíça pretende reforçar seu trabalho de ajuda às pessoas que sofrem os infortúnios provocados pelos conflitos mundiais. Ela irá reformar seu ambulatório para vítimas de guerra e tortura, localizado em Berna. Lá são atendidas entre 130 e 150 pacientes por ano, vindos em sua totalidade de outros países. A SRK planeja também construir outros centros parecidos em Zurique e na parte de expressão francesa da Suíça. Através dessa expansão, a organização pretende não apenas atender refugiados aceitos na Suíça, assim como outras vítimas de guerra e tortura no mundo.

O governo federal suíço manterá para si 950 mil dólares das verbas do Fundo, que serão empregados no pagamento de dívidas pendentes com vítimas que ainda não foram localizadas.

Todos os arquivos do Fundo especial serão entregues aos Arquivos Federais da Suíça.

swissinfo com agências

Breves

O Fundo especial foi criado em 1997.
- foram pagos mais de 300 milhões de francos suíços (US$ 210 milhões)
- sobraram 12 milhões de francos suíços (US$ 8,4 milhões)
- do dinheiro, 8 milhões de francos suíços (US$ 5,6 milhões) vai para a WJRO em Jerusalém e 4 milhões (US$ 2,8 milhões) vai para a Cruz Vermelha Suíça.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?