Navigation

Genoma do camundongo teve contribuição suíça

Homem e camundongo compartilham 99% dos genes. Keystone

Cientistas de Genebra participaram dos três anos de estudos que levaram ao seqüenciamento do genoma do camundongo, publicados na revista Nature.

Este conteúdo foi publicado em 05. dezembro 2002 - 16:26

Trata-se de um passo importante para acelerar a pesquisa de remédios para doenças genéticas humanas.

A melhor notícia dos últimos tempos para o Homem vem do rato. Ela está publicada na edição de quinta-feira (05.12) da revista científica Nature. Após três anos de estudos por cientistas de 7 países foi concluido o mapeamento genético do camundongo, animal mais usado nos laboratórios de pesquisa.

Genomas muito parecidos

Como uma boa notícia nunca vem sózinha, os 26 institutos que participaram dos estudos, entre eles o laboratório de Genética Médica da universidade de Genebra, são públicos. Isso significa que o mapa genético completo do camundongo está disponível, gratuitamente, para todos os pesquisadores.

A descoberta é fundamental e o diretor de pesquisas da Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL), Stephan Catsicas, considera que, hoje, é mais importante conhecer o genoma do camundongo do que o genoma humano, publicado no ano passado.

Remédios mais baratos e mais eficazes

Geneticamente, o camundongo e o ser humano são quase idênticos, pois compartilham 99% dos genes. O mais interessante ainda é que 90% dos genes relacionados com doenças são idênticos, de acordo com o estudo publicado na Nature.

Quando uma doença for associada a um gene do rato, provavelmente também o será no ser humano. Como os dois genomas agora são conhecidos, essa relação será mais fácil.

Pesquisas baseadas em manipulações genéticas que não podem ser feitas em humanos poderão ser realizadas com ratos. A conseqüência é que o tempo de desenvolvimento de remédios (atualmente entre 10 e 15 anos) poderá ser reduzido.

"Se conseguirmos acelerar o processo, teremos remédios mais baratos e mais eficazes", afirmou Catsicas ao jornal suíço "Le Temps", de Genebra.

Breves

- Cerca de 1.200 novos genes humanos foram descobertos em comparações com os do camondongo

- Camundongos e seres humanos têm aproxidamente 30 mil genes, 99% idênticos

- 90% dos genes associados a doenças são idênticos em camundongos e humanos

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?