Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Governo diz que aderir à ONU é questão de bom senso

(swissinfo.ch)

Um dia depois dos adversários, o governo federal lançou, terça-feira, a campanha pela adesão da ONU, a ser votada pelo povo dia 3 de março.

O presidente da Suíça e ministro das Finanças, Kaspar Villiger, o ministro das Relações Exteriores, Joseph Deiss e o ministro da Defesa, Samuel Schimid, lançaram um apelo ao bom senso dos eleitores na votação de 3 de março.

Só o Vaticano e a Suíça não são membros da ONU, apesar da sede européia das Nações Unidas ser em Genebra. Em 1986, os suíços rejeitaram a adesão.

A ONU não é antidemocrática

Para o governo suíço, que está lançando a campanha oficial, a adesão é o melhor meio de defender os interesses do povo suíço e da democracia no mundo. Ela não acarretaria qualquer perda da soberania do país, garantiram os ministros diante da imprensa, em Berna.

Respondendo a um dos argumentos da oposição quanto ao "déficit democrático" da ONU, o chefe da diplomacia, Josph Deiss, explicou que o direito de veto dos 5 membros permanentes do Conselho de Segurança pode impedir que uma decisão seja tomada mas nunca obrigar um país a agir de maneira contrária à sua política.

swissinfo com agências

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×